Oi gente! Lá vou eu me meter em mais um projeto haha. 

Nesta terça-feira (15), a famosa "Rainha do Crime" completaria 125 anos; Agatha Christie é uma das autoras mais lidas da literatura mundial e desde que eu tive a minha primeira experiencia com ela, não quis mais parar! Cada livro é um novo amorzinho e eu desejo conhecer cada livro dela. Projeto para a vida, mas vamos lá!

Sobre a autora




 "A escrita é um grande conforto para pessoas como eu, que estão inseguros sobre si mesmos e têm dificuldade para expressar-se corretamente."

Dame Agatha Mary Clarissa Mallowan (Torquay, 15 de Setembro de 1890 — Wallingford, 12 de Janeiro de 1976), mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica, autora de mais de oitenta livros. Seus livros são dos mais traduzidos de todo o planeta, superados apenas pela Bíblia e pelas obras de Shakespeare, com mais de 4 bilhões de cópias vendidas em diversas línguas. Conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos, criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne, entre outros.

Os detetives:

Hercule Poirot ou simplesmente Poirot é um grande detetive fictício e protagonista da maioria dos livros de Agatha Christie. Um grande número das obras onde Poirot aparece se tornaram filmes, séries de televisão, rádio e teatro. Foi vivido no cinema por Albert Finney e por Sir Peter Ustinov e na série televisiva por David Suchet. O detetive aparece em mais de 40 romances de Agatha Christie e protagoniza desde 1989 a série britânica "Agatha Christie's Poirot" onde é interpretado por David Suchet. Poirot é uma personagem extremamente extravagante, não é nada modesto, e está sempre se gabando da forma como usa as suas células cinzentas. Possui um grande e belo bigode que é o que melhor o identifica, e tem sempre uma aparência elegante e impecável. Poirot é um grande fã da ordem e do método, daí estar sempre impecavelmente vestido. Chega, em certos momentos, a ser rabugento. Costuma dizer ao seu amigo Hastings que: "o seu crime de sonho seria realizado com ordem e método" e acredita que "se houvesse um criminoso assim, seria impossível, incluindo o próprio Hercule Poirot, descobrir o verdadeiro culpado". Diz ainda que a mente humana não tem nenhuma originalidade, pois quando um criminoso comete um crime, o seu método psicológico é sempre o mesmo, o detetive também acrescenta a isso o fato de "conhecer a natureza humana". Para evitar que continuassem a explorar seu personagem depois de sua morte, Agatha Christie decidiu matar Poirot em um romance escrito na década de 1940, mas que, segundo ordens expressas suas, só deveria ser publicado após sua morte. Por essa razão, Cai o pano somente foi lançado em 1975. A ação já começa com Poirot doente e sua morte fecha a trama. Uma despedida dupla, da criatura e de sua criadora.  O livro chamou tanta atenção, que rendeu a Hercule Poirot um obituário no jornal norte-americano The New York Times, e foi o primeiro personagem fictício a ter lugar na primeira página do jornal. 


"Por que não seria belga meu detetive? Deixei que crescesse como personagem. Deveria ter sido inspetor, de modo a poder ter certos conhecimentos sobre crimes. Seria meticuloso, ordenado, pensei com meus botões, enquanto arrumava meu quarto. Um homenzinho bem ordeiro. Parecia-me até que o via, um homem muito alinhado, sempre cuidando de colocar tudo no devido lugar, amante dos objetos aos pares, das coisas quadradas, e não redondas. . E seria muito inteligente — teria muitas células cinzentas —, essa era uma boa frase, devia recordá-la: ele possuiria não poucas células de matéria cinzenta. Seu nome seria espetacular — um desses nomes como existiam na família de Sherlock Holmes. Como era mesmo o nome do irmão dele? Mycroft Holmes! E se chamasse ao meu homenzinho Hercules? Ele seria um homem baixo — Hercules seria mesmo um bom nome. Seu sobrenome era mais difícil. Não sei por que me decidi por Poirot. Se fui eu própria quem o inventou, ou se o vi em algum jornal, ou escrito em algum lugar, não sei — mas assentei que seria esse o nome. Combinava bem, não com Hercules, com s, mas sim com Hercule — Hercule Poirot. Estava certo, assente, graças a Deus!(...)"


Jane Marple, normalmente conhecida como Miss Marple, é uma personagem de ficção presente em doze romances e em vinte contos policiais de Agatha Christie. Miss Marple é uma senhora solteirona que vive no vilarejo de St. Mary Mead e atua como detetive amadora. Ela desvenda os mais intrincados mistérios, baseando-se apenas em seu profundo conhecimento da natureza humana.  É uma anciã que mora na pequena aldeia inglesa de St. Mary Mead. Aparentemente é uma idosa comum, que se veste com roupas de lã e é vista, frequentemente, tricotando e tirando as ervas daninhas de seu jardim. Às vezes, é considerada confusa ou caduca, mas quando passa a resolver mistérios, mostra ter uma mente lógica e afiada, e um conhecimento incomparável da natureza humana com todas as suas fraquezas, forças, truques e excentricidades.O personagem de Jane Marple em seu primeiro livro, Assassinato na Casa do Pastor, é notadamente diferente de como ela se parece em livros posteriores. Esta versão de Miss Marple é fofoqueira e não é especialmente agradável. Os cidadãos de St. Mary Mead estão cansados de sua natureza curiosa e de como ela parece esperar o pior de todo o mundo. Em livros posteriores, ela se torna mais amável e moderna. Marple protagonizou 12 romances e 20 contos, que iam desde a pitoresca Inglaterra rural de Um Corpo na Biblioteca até o glamour de O Caso do Hotel Bertram e uma ilha em Mistério no Caribe. Muitas atrizes interpretaram Miss Marple na TV e cinema, Gracie Fields foi a primeira, na versão televisiva de A Murder is Announced, em 1956. Margaret Rutherford interpretou Miss Marple em quatro filmes da MGM vagamente baseados na obra de Agatha, e também em The Murder Alphabet, ao lado de Tony Randall, que interpretou Poirot. Helen Hayes, vencedora de dois Oscares, interpretou Marple em A Caribbean Mystery de 1983 e They Do It with Mirrors de 1984. Joan Hickson foi Miss Marple nas adaptações da BBC nos anos 90. Joan havia interpretado uma empregada em Murder, she Said, que tinha Rutherford como Marple. Por fim Geraldine McEwan interpretou a detetive nas adaptações da ITV em 2004, sendo substituída por Julia McKenzie em 2009. Muitos dizem que Miss Marple é a detetive favorita da Agatha.


"Não houve maldade em Miss Marple, ela simplesmente não confiava nas pessoas. Embora ela esperasse o pior, muitas vezes ela aceitou gentilmente as pessoas, apesar do que eles eram." 

Tommy e Tupppence Beresford  formam o único casal utilizado pela autora em mais de um livro. Um detalhe interessante é que, ao contrário do que acontece na maioria das vezes, eles envelhecem entre um volume e outro. No primeiro livro em que aparecem, O Adversário Secreto, publicado em 1922, ainda solteiros, os dois amigos de infância entram quase por brincadeira em um perigoso jogo de espionagem. Ao todo o casal de jovens participou de 5 livros da autora, entre eles uma coletânea de contos: O Inimigo Secreto, M ou N?, Um Pressentimento Funesto, Sócios no Crime e Portal do Destino. Agatha descreve Tommy como agradavelmente feio, mas inequivocamente um cavalheiro, é considerado lento o que é o contraponto perfeito à impetuosidade de Tuppence, os amigos casam-se no final do primeiro livro e têm três filhos: os gêmeos Derek e Deborah, e a filha adotiva Betty. Partners in Crime virou uma série de televisão em 1984, indo ao ar pela LWT, tendo James Warwick como Tommy e Francesca Annis como Tuppence, a série levou ao ar 10 dos 15 contos pertencentes ao livro. O casal voltou no filme The Secret Adversary, de 1985.

Parker Pyne é um empregado aposentado do governo, ele se define como "o detetive do coração". De fato, seu interesse é pela felicidade alheia, tanto que nos anúncios que coloca nos jornais, ele pergunta: Você é feliz? Se não for, procure Mr. Parker Pyne, no nº. 17 da Rua Richmond. Parker Pyne aparece em duas obras de Agatha Christie. O detetive Parker Pyne surgiu em 1934 no livro de pequenos contos Parker Pyne Investigates. Pyne não se considerava um detetive, mas sim um especialista em coração, cuja especialidade era curar a infelicidade das pessoas. Os primeiros seis contos com Parker Pyne, são casos simples ocorridos em Londres, posteriormente, histórias mais complexas, como uma viagem ao Oriente Médio em pleno Orient Express (de Assassinato no Expresso do Oriente), ser conselheiro de testamentos, Pyne chega até mesmo a fazer um cruzeiro pelo Nilo. Posteriormente, Pyne aparece no livro The Regatta Mystery, que também possui histórias de Hercule Poirot e Miss Marple. O detetive, ou melhor, médico do coração, é descrito como um homem gordo, careca, por volta de seus 60 anos, possui uma teoria, segundo a qual, existem 5 tipos de infelicidade, mas todas elas têm cura, Pyne usa métodos nada tradicionais, e engenhosamente engana os suspeitos e cura a infelicidade. E em algum momento as histórias de Parker Pyne e Hercule Poirot se cruzam, Mrs. Ariadne Oliver, amiga de Pyne, auxilia Poirot em alguns crimes.

Ariadne Oliver escreve romances de mistério e sempre procura ajudar o detetive belga Hercule Poirot nas histórias em que aparece. No entanto, sua propalada "intuição feminina" quase sempre leva a conclusões errôneas. Assim, ela funciona mais como alívio cômico do que, propriamente, como elemento útil das investigações. Entre suas características marcantes está sua adoração por maçãs e seu cabelo "rebelde". Sua primeira aparição, no entanto, não foi em um livro de Hercule Poirot. Foi no livro Parker Pyne Investigates onde auxilia o detetive Parker Pyne em um de seus casos. Em seus livros, ela criou o detetive finlandês Sven Hjerson, de quem sempre reclama. Isso é visto como um espelho do que Agatha Christie pensa de Poirot, bem como de suas reflexões sobre sua própria obra.  A detetive, também já apareceu nas telas, começando pelo filme Dead Man's Folly de 1986, adaptação do romance homônimo, onde é interpretada por Jean Stapleton, e também contracenou com David Suchet, em episódios recentes de Agatha Christie's Poirot, como é o caso de Cards on the Table, que foi ao ar em 2005.

Detetives por acaso: Alguns dos mais famosos livros de Agatha, não são protagonizados nem por Poirot, ou Miss Marple, nem mesmo pelo casal Tommy e Tuppence, ou Ariadne Oliver, são pessoas comuns, que de alguma forma são empurradas para um mistério. Um bom exemplo deste tipo de detetive, Dr. Arthur Calgary, de Punição para a Inocência, no romance, o médico, ao retornar da Austrália, descobre um álibi, de um homem condenado injustamente, e são as diversas pistas encontradas por Calgary, que o levam a desvendar um assassinato. Já em Por que não Pediram a Evans?, Agatha forma uma dupla de investigadores bem diferentes de Tommy e Tuppence, formada pelos amadores Bobby Jones e Frankie Derwent, que além de tudo, são bem atrapalhados e caem em algumas armadilhas de seus inimigos, mas mesmo assim conseguem solucionar o mistério colocado em seu caminho. Além disso Noite sem Fim e The Pale Horse, são protagonizados por amadores, e ainda por cima em 1ª pessoa. Em "Noite sem fim", o jovem Michael Rogers tenta desvendar o assassinato de sua esposa Ellie. Já The Pale Horse, talvez seja um dos livros mais singulares de Agatha nele, Mark Easterbrook, tenta desvendar uma série de assassinatos, envolvendo supostas bruxas e um misterioso cavalo amarelo. E em "O Mistério dos 7 Relógios", a intrigada Bundle Brent, filha do displicente Lord Caterham, ao ver dois amigos dela serem mortos por uma suposta sociedade secreta, procura desvendar tais desfechos junto com a ajuda do Superintendente Battle, policial que a aconselha a se precaver de alguma represália desta seita formada por estranhos 7 personagens, alguns deles infiltrados na trama. 




Seguem abaixo todos os títulos, que estão listados por ordem de publicação da versão original. Essa lista eu achei no blog Viagem Literária :):

1920 O Misterioso Caso de Styles (Resenha)
1922 O Adversário Secreto - LIDO (Resenha
1923 Assassinato no campo de Golfe 
1924 Poirot Investiga
1924 O Homem do Terno Marrom
1925 O Segredo de Chimneys
1926 O Assassinato de Roger Ackroyd - LIDO
1927 Os Quatro Grandes
1928 O Mistério do Trem Azul
1929 O Mistério dos Sete Relógios
1929 Sócios no Crime
1930 O Misterioso Sr. Quin
1930 Assassinato na Casa do Pastor
1931 O Mistério de Sittaford
1931 A Morte do Almirante
1932 A Casa do Penhasco
1932 Os Treze Problemas
1933 Treze à Mesa
1933 O Cão da Morte
1934 Assassinato no expresso do Oriente - LIDO (Resenha)
1934 O Mistério de Listerdale
1934 Por que não pediram à Evans?
1934 O Detetive Parker Pyne
1934 Tragédia em Três Atos
1935 Morte nas Nuvens
1936 Os Crimes ABC - LIDO (Resenha)
1936 Morte na Mesopotâmia - LIDO (Resenha)
1936 Cartas na Mesa
1937 Assassinato no Beco
1937 Poirot Perde uma Cliente
1937 Morte no Nilo - LIDO (Resenha)
1938 Encontro com a Morte
1938 O Natal de Poirot
1939 É fácil matar
1939 O Caso dos Dez Negrinhos/E não sobrou nenhum - LIDO (Resenha)
1939 Um Acidente e Outras Histórias
1940 Cipreste Triste
1940 Uma Dose Mortal
1941 Morte na Praia
1941 M ou N?
1942 Um Copo na Biblioteca
1942 Os Cinco Porquinhos
1942 A Mão Misteriosa
1944 Hora Zero
1944 E no Final a Morte
1945 Um Brinde de Cianureto
1946 A Mansão Hollow - LIDO (Resenha)
1947 Os Trabalhos de Hércules
1948 Seguindo a Correnteza
1948 Testemunha de Acusação (contos)
1949 A Casa Torta
1950 Os Três Ratos Cegos e Outras Histórias
1950 Convite para um Homicídio
1951 Aventura em Bagdá
1951 A Morte da Sra. McGinty
1952 Um Passe de Mágica
1953 Depois do Funeral
1953 Cem Gramas de Centeio
1954 Um Destino Ignorado
1954 Morte na Rua Hickory
1956 A Extravagância do Morto
1957 A Testemunha Ocular do Crime
1958 Punição para a Inocência
1959 Um Gato entre os Pombos
1960 A Aventura do Pudim de Natal
1961 O Cavalo Amarelo
1962 A Maldição do Espelho
1963 Os Relógios
1964 Mistério no Caribe
1965 O caso do Hotel Bertram
1966 A Terceira Moça
1967 Noite Sem Fim
1968 Um Pressentimento Funesto
1969 A Noite das Bruxas
1970 Passageiro para Frankfurt
1971 A Mina de Ouro
1971 Nêmesis
1972 Os elefantes não esquecem
1973 Portal do Destino
1974 Os Primeiros Casos de Poirot
1975 Cai o Pano
1976 Um Crime Adormecido
1977 Autobiografia
1979 Os Últimos Casos de Miss Marple
1983 Um Furo Jornalístico/ O Cadáver Atrás do Biombo
1997 Enquanto houver luz (Contos nunca publicados)
2008 A Teia da Aranha
2008 Poirot Sempre


E aí? Alguém vem comigo? ♥



Beijos! E Harry B-Day para Agathinha! 



Ps. Assim como o desafio da Rory Gilmore, este post ficará fixo e será atualizado na medida que eu for lendo assim como os links para resenhas :) Fontes das informações estão linkadas no post.



4 Comentários

Deixe um comentário

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Agatha 125 Anos + Projeto #LendoAgathaChristie



Oi gente! Lá vou eu me meter em mais um projeto haha. 

Nesta terça-feira (15), a famosa "Rainha do Crime" completaria 125 anos; Agatha Christie é uma das autoras mais lidas da literatura mundial e desde que eu tive a minha primeira experiencia com ela, não quis mais parar! Cada livro é um novo amorzinho e eu desejo conhecer cada livro dela. Projeto para a vida, mas vamos lá!

Sobre a autora




 "A escrita é um grande conforto para pessoas como eu, que estão inseguros sobre si mesmos e têm dificuldade para expressar-se corretamente."

Dame Agatha Mary Clarissa Mallowan (Torquay, 15 de Setembro de 1890 — Wallingford, 12 de Janeiro de 1976), mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica, autora de mais de oitenta livros. Seus livros são dos mais traduzidos de todo o planeta, superados apenas pela Bíblia e pelas obras de Shakespeare, com mais de 4 bilhões de cópias vendidas em diversas línguas. Conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos, criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne, entre outros.

Os detetives:

Hercule Poirot ou simplesmente Poirot é um grande detetive fictício e protagonista da maioria dos livros de Agatha Christie. Um grande número das obras onde Poirot aparece se tornaram filmes, séries de televisão, rádio e teatro. Foi vivido no cinema por Albert Finney e por Sir Peter Ustinov e na série televisiva por David Suchet. O detetive aparece em mais de 40 romances de Agatha Christie e protagoniza desde 1989 a série britânica "Agatha Christie's Poirot" onde é interpretado por David Suchet. Poirot é uma personagem extremamente extravagante, não é nada modesto, e está sempre se gabando da forma como usa as suas células cinzentas. Possui um grande e belo bigode que é o que melhor o identifica, e tem sempre uma aparência elegante e impecável. Poirot é um grande fã da ordem e do método, daí estar sempre impecavelmente vestido. Chega, em certos momentos, a ser rabugento. Costuma dizer ao seu amigo Hastings que: "o seu crime de sonho seria realizado com ordem e método" e acredita que "se houvesse um criminoso assim, seria impossível, incluindo o próprio Hercule Poirot, descobrir o verdadeiro culpado". Diz ainda que a mente humana não tem nenhuma originalidade, pois quando um criminoso comete um crime, o seu método psicológico é sempre o mesmo, o detetive também acrescenta a isso o fato de "conhecer a natureza humana". Para evitar que continuassem a explorar seu personagem depois de sua morte, Agatha Christie decidiu matar Poirot em um romance escrito na década de 1940, mas que, segundo ordens expressas suas, só deveria ser publicado após sua morte. Por essa razão, Cai o pano somente foi lançado em 1975. A ação já começa com Poirot doente e sua morte fecha a trama. Uma despedida dupla, da criatura e de sua criadora.  O livro chamou tanta atenção, que rendeu a Hercule Poirot um obituário no jornal norte-americano The New York Times, e foi o primeiro personagem fictício a ter lugar na primeira página do jornal. 


"Por que não seria belga meu detetive? Deixei que crescesse como personagem. Deveria ter sido inspetor, de modo a poder ter certos conhecimentos sobre crimes. Seria meticuloso, ordenado, pensei com meus botões, enquanto arrumava meu quarto. Um homenzinho bem ordeiro. Parecia-me até que o via, um homem muito alinhado, sempre cuidando de colocar tudo no devido lugar, amante dos objetos aos pares, das coisas quadradas, e não redondas. . E seria muito inteligente — teria muitas células cinzentas —, essa era uma boa frase, devia recordá-la: ele possuiria não poucas células de matéria cinzenta. Seu nome seria espetacular — um desses nomes como existiam na família de Sherlock Holmes. Como era mesmo o nome do irmão dele? Mycroft Holmes! E se chamasse ao meu homenzinho Hercules? Ele seria um homem baixo — Hercules seria mesmo um bom nome. Seu sobrenome era mais difícil. Não sei por que me decidi por Poirot. Se fui eu própria quem o inventou, ou se o vi em algum jornal, ou escrito em algum lugar, não sei — mas assentei que seria esse o nome. Combinava bem, não com Hercules, com s, mas sim com Hercule — Hercule Poirot. Estava certo, assente, graças a Deus!(...)"


Jane Marple, normalmente conhecida como Miss Marple, é uma personagem de ficção presente em doze romances e em vinte contos policiais de Agatha Christie. Miss Marple é uma senhora solteirona que vive no vilarejo de St. Mary Mead e atua como detetive amadora. Ela desvenda os mais intrincados mistérios, baseando-se apenas em seu profundo conhecimento da natureza humana.  É uma anciã que mora na pequena aldeia inglesa de St. Mary Mead. Aparentemente é uma idosa comum, que se veste com roupas de lã e é vista, frequentemente, tricotando e tirando as ervas daninhas de seu jardim. Às vezes, é considerada confusa ou caduca, mas quando passa a resolver mistérios, mostra ter uma mente lógica e afiada, e um conhecimento incomparável da natureza humana com todas as suas fraquezas, forças, truques e excentricidades.O personagem de Jane Marple em seu primeiro livro, Assassinato na Casa do Pastor, é notadamente diferente de como ela se parece em livros posteriores. Esta versão de Miss Marple é fofoqueira e não é especialmente agradável. Os cidadãos de St. Mary Mead estão cansados de sua natureza curiosa e de como ela parece esperar o pior de todo o mundo. Em livros posteriores, ela se torna mais amável e moderna. Marple protagonizou 12 romances e 20 contos, que iam desde a pitoresca Inglaterra rural de Um Corpo na Biblioteca até o glamour de O Caso do Hotel Bertram e uma ilha em Mistério no Caribe. Muitas atrizes interpretaram Miss Marple na TV e cinema, Gracie Fields foi a primeira, na versão televisiva de A Murder is Announced, em 1956. Margaret Rutherford interpretou Miss Marple em quatro filmes da MGM vagamente baseados na obra de Agatha, e também em The Murder Alphabet, ao lado de Tony Randall, que interpretou Poirot. Helen Hayes, vencedora de dois Oscares, interpretou Marple em A Caribbean Mystery de 1983 e They Do It with Mirrors de 1984. Joan Hickson foi Miss Marple nas adaptações da BBC nos anos 90. Joan havia interpretado uma empregada em Murder, she Said, que tinha Rutherford como Marple. Por fim Geraldine McEwan interpretou a detetive nas adaptações da ITV em 2004, sendo substituída por Julia McKenzie em 2009. Muitos dizem que Miss Marple é a detetive favorita da Agatha.


"Não houve maldade em Miss Marple, ela simplesmente não confiava nas pessoas. Embora ela esperasse o pior, muitas vezes ela aceitou gentilmente as pessoas, apesar do que eles eram." 

Tommy e Tupppence Beresford  formam o único casal utilizado pela autora em mais de um livro. Um detalhe interessante é que, ao contrário do que acontece na maioria das vezes, eles envelhecem entre um volume e outro. No primeiro livro em que aparecem, O Adversário Secreto, publicado em 1922, ainda solteiros, os dois amigos de infância entram quase por brincadeira em um perigoso jogo de espionagem. Ao todo o casal de jovens participou de 5 livros da autora, entre eles uma coletânea de contos: O Inimigo Secreto, M ou N?, Um Pressentimento Funesto, Sócios no Crime e Portal do Destino. Agatha descreve Tommy como agradavelmente feio, mas inequivocamente um cavalheiro, é considerado lento o que é o contraponto perfeito à impetuosidade de Tuppence, os amigos casam-se no final do primeiro livro e têm três filhos: os gêmeos Derek e Deborah, e a filha adotiva Betty. Partners in Crime virou uma série de televisão em 1984, indo ao ar pela LWT, tendo James Warwick como Tommy e Francesca Annis como Tuppence, a série levou ao ar 10 dos 15 contos pertencentes ao livro. O casal voltou no filme The Secret Adversary, de 1985.

Parker Pyne é um empregado aposentado do governo, ele se define como "o detetive do coração". De fato, seu interesse é pela felicidade alheia, tanto que nos anúncios que coloca nos jornais, ele pergunta: Você é feliz? Se não for, procure Mr. Parker Pyne, no nº. 17 da Rua Richmond. Parker Pyne aparece em duas obras de Agatha Christie. O detetive Parker Pyne surgiu em 1934 no livro de pequenos contos Parker Pyne Investigates. Pyne não se considerava um detetive, mas sim um especialista em coração, cuja especialidade era curar a infelicidade das pessoas. Os primeiros seis contos com Parker Pyne, são casos simples ocorridos em Londres, posteriormente, histórias mais complexas, como uma viagem ao Oriente Médio em pleno Orient Express (de Assassinato no Expresso do Oriente), ser conselheiro de testamentos, Pyne chega até mesmo a fazer um cruzeiro pelo Nilo. Posteriormente, Pyne aparece no livro The Regatta Mystery, que também possui histórias de Hercule Poirot e Miss Marple. O detetive, ou melhor, médico do coração, é descrito como um homem gordo, careca, por volta de seus 60 anos, possui uma teoria, segundo a qual, existem 5 tipos de infelicidade, mas todas elas têm cura, Pyne usa métodos nada tradicionais, e engenhosamente engana os suspeitos e cura a infelicidade. E em algum momento as histórias de Parker Pyne e Hercule Poirot se cruzam, Mrs. Ariadne Oliver, amiga de Pyne, auxilia Poirot em alguns crimes.

Ariadne Oliver escreve romances de mistério e sempre procura ajudar o detetive belga Hercule Poirot nas histórias em que aparece. No entanto, sua propalada "intuição feminina" quase sempre leva a conclusões errôneas. Assim, ela funciona mais como alívio cômico do que, propriamente, como elemento útil das investigações. Entre suas características marcantes está sua adoração por maçãs e seu cabelo "rebelde". Sua primeira aparição, no entanto, não foi em um livro de Hercule Poirot. Foi no livro Parker Pyne Investigates onde auxilia o detetive Parker Pyne em um de seus casos. Em seus livros, ela criou o detetive finlandês Sven Hjerson, de quem sempre reclama. Isso é visto como um espelho do que Agatha Christie pensa de Poirot, bem como de suas reflexões sobre sua própria obra.  A detetive, também já apareceu nas telas, começando pelo filme Dead Man's Folly de 1986, adaptação do romance homônimo, onde é interpretada por Jean Stapleton, e também contracenou com David Suchet, em episódios recentes de Agatha Christie's Poirot, como é o caso de Cards on the Table, que foi ao ar em 2005.

Detetives por acaso: Alguns dos mais famosos livros de Agatha, não são protagonizados nem por Poirot, ou Miss Marple, nem mesmo pelo casal Tommy e Tuppence, ou Ariadne Oliver, são pessoas comuns, que de alguma forma são empurradas para um mistério. Um bom exemplo deste tipo de detetive, Dr. Arthur Calgary, de Punição para a Inocência, no romance, o médico, ao retornar da Austrália, descobre um álibi, de um homem condenado injustamente, e são as diversas pistas encontradas por Calgary, que o levam a desvendar um assassinato. Já em Por que não Pediram a Evans?, Agatha forma uma dupla de investigadores bem diferentes de Tommy e Tuppence, formada pelos amadores Bobby Jones e Frankie Derwent, que além de tudo, são bem atrapalhados e caem em algumas armadilhas de seus inimigos, mas mesmo assim conseguem solucionar o mistério colocado em seu caminho. Além disso Noite sem Fim e The Pale Horse, são protagonizados por amadores, e ainda por cima em 1ª pessoa. Em "Noite sem fim", o jovem Michael Rogers tenta desvendar o assassinato de sua esposa Ellie. Já The Pale Horse, talvez seja um dos livros mais singulares de Agatha nele, Mark Easterbrook, tenta desvendar uma série de assassinatos, envolvendo supostas bruxas e um misterioso cavalo amarelo. E em "O Mistério dos 7 Relógios", a intrigada Bundle Brent, filha do displicente Lord Caterham, ao ver dois amigos dela serem mortos por uma suposta sociedade secreta, procura desvendar tais desfechos junto com a ajuda do Superintendente Battle, policial que a aconselha a se precaver de alguma represália desta seita formada por estranhos 7 personagens, alguns deles infiltrados na trama. 




Seguem abaixo todos os títulos, que estão listados por ordem de publicação da versão original. Essa lista eu achei no blog Viagem Literária :):

1920 O Misterioso Caso de Styles (Resenha)
1922 O Adversário Secreto - LIDO (Resenha
1923 Assassinato no campo de Golfe 
1924 Poirot Investiga
1924 O Homem do Terno Marrom
1925 O Segredo de Chimneys
1926 O Assassinato de Roger Ackroyd - LIDO
1927 Os Quatro Grandes
1928 O Mistério do Trem Azul
1929 O Mistério dos Sete Relógios
1929 Sócios no Crime
1930 O Misterioso Sr. Quin
1930 Assassinato na Casa do Pastor
1931 O Mistério de Sittaford
1931 A Morte do Almirante
1932 A Casa do Penhasco
1932 Os Treze Problemas
1933 Treze à Mesa
1933 O Cão da Morte
1934 Assassinato no expresso do Oriente - LIDO (Resenha)
1934 O Mistério de Listerdale
1934 Por que não pediram à Evans?
1934 O Detetive Parker Pyne
1934 Tragédia em Três Atos
1935 Morte nas Nuvens
1936 Os Crimes ABC - LIDO (Resenha)
1936 Morte na Mesopotâmia - LIDO (Resenha)
1936 Cartas na Mesa
1937 Assassinato no Beco
1937 Poirot Perde uma Cliente
1937 Morte no Nilo - LIDO (Resenha)
1938 Encontro com a Morte
1938 O Natal de Poirot
1939 É fácil matar
1939 O Caso dos Dez Negrinhos/E não sobrou nenhum - LIDO (Resenha)
1939 Um Acidente e Outras Histórias
1940 Cipreste Triste
1940 Uma Dose Mortal
1941 Morte na Praia
1941 M ou N?
1942 Um Copo na Biblioteca
1942 Os Cinco Porquinhos
1942 A Mão Misteriosa
1944 Hora Zero
1944 E no Final a Morte
1945 Um Brinde de Cianureto
1946 A Mansão Hollow - LIDO (Resenha)
1947 Os Trabalhos de Hércules
1948 Seguindo a Correnteza
1948 Testemunha de Acusação (contos)
1949 A Casa Torta
1950 Os Três Ratos Cegos e Outras Histórias
1950 Convite para um Homicídio
1951 Aventura em Bagdá
1951 A Morte da Sra. McGinty
1952 Um Passe de Mágica
1953 Depois do Funeral
1953 Cem Gramas de Centeio
1954 Um Destino Ignorado
1954 Morte na Rua Hickory
1956 A Extravagância do Morto
1957 A Testemunha Ocular do Crime
1958 Punição para a Inocência
1959 Um Gato entre os Pombos
1960 A Aventura do Pudim de Natal
1961 O Cavalo Amarelo
1962 A Maldição do Espelho
1963 Os Relógios
1964 Mistério no Caribe
1965 O caso do Hotel Bertram
1966 A Terceira Moça
1967 Noite Sem Fim
1968 Um Pressentimento Funesto
1969 A Noite das Bruxas
1970 Passageiro para Frankfurt
1971 A Mina de Ouro
1971 Nêmesis
1972 Os elefantes não esquecem
1973 Portal do Destino
1974 Os Primeiros Casos de Poirot
1975 Cai o Pano
1976 Um Crime Adormecido
1977 Autobiografia
1979 Os Últimos Casos de Miss Marple
1983 Um Furo Jornalístico/ O Cadáver Atrás do Biombo
1997 Enquanto houver luz (Contos nunca publicados)
2008 A Teia da Aranha
2008 Poirot Sempre


E aí? Alguém vem comigo? ♥



Beijos! E Harry B-Day para Agathinha! 



Ps. Assim como o desafio da Rory Gilmore, este post ficará fixo e será atualizado na medida que eu for lendo assim como os links para resenhas :) Fontes das informações estão linkadas no post.