A Mansão Hollow
Autor: Agatha Christie
Ano: 2014 
Páginas: 256
Editora: Nova Fronteira
Sinopse: Um inofensivo convite para almoçar na Mansão Hollow logo se transforma em mais um caso a ser desvendado por Hercule Poirot. A cena do crime parece um tanto artificial - o corpo de um homem agonizando na beira da piscina, sua mulher logo ao lado segurando um revólver, e ainda três testemunhas. Seria na verdade uma encenação, uma brincadeira de mau gosto para provocar o detetive? Infelizmente, para a vítima, não. Indo contra todas as evidências, Poirot não demora a descobrir que a arma que aquela mulher tinha nas mãos não era a mesma que matou seu marido. O que aconteceu, então?

O que achei


"A verdade, por mais amarga que seja, pode ser aceita e tecida por um padrão de vida."




Diferente dos outros livros que já li da Agatha Christie, em "A mansão Hollow" o crime não acontece logo de cara. Somos apresentados aos personagens e os conflitos familiares e amores não resolvidos entre eles ate o seu caminho para o final de semana na mansão Hollow.
O crime de fato acontece quase na metade do livro, uma noite após todos chegarem à mansão.
Todos não. Um convidado muito especial, o famoso detetive Hercule Poirot ainda não havia chego.
Claro, como um bom faro para crimes, Poirot chega a tempo para encontrar uma cena de crime "dramática" a beira da piscina. Um homem homem e a sua esposa so seu lado com o revolve na mão. Tão minimamente feita e teatral que a princípio o detetive crê ser uma cena de boas vindas para ele.
Ate que percebe que o crime é real. E todos na mansão são suspeitos. Afinal, o obvio nunca o interessa.
Confesso que já nesse ponto eu fiquei feliz com a morte de John (que mórbido!). Serio! Que personagem asqueroso. O livro na verdade é cheio de personagens que causam antipatia. Para mim, por exemplo, Hanrietta. Arg!
Mas não pense você que isso é algo ruim. Pelo contrário. Pior que um livro cheio de personagens que causam raiva, é um livro cheio de personagens que não fazem diferença. O que não acontece com "A mansão Hollow". Cada personagens tinha o seu lugar e importância na história. E que história! A vida dessas pessoas dariauma novela mexicana daquelas! Haha.




E meu Deus! Que divo Poirot estava nesse livro haha! Ele dava umas respostas na "lata" em uma personagem odiada que eu quase beijei as páginas! 
Sobre o final, decepcionada não é bem a palavra. Mas, apesar de bem justificado, eu queria que tivesse sido outra pessoa "para variar". Que pavor de dar spoiler! 



Este livro, por fim, foi incrível! Muito mais que o mistério-solução que normalmente encontramos nos romances de Agatha. Acredito que ate hoje esse livro foi o que mais me envolveu. Tanto que o devorei em um dia! Rosto sorridente com olhos em forma de coração

Apaixonante. Entrou para o meu top 5, com certeza!

Sobre a autora

Dame Agatha Mary Clarissa Mallowan (Torquay, 15 de Setembro de 1890 — Wallingford, 12 de Janeiro de 1976), mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica, autora de mais de oitenta livros. Seus livros são dos mais traduzidos de todo o planeta, superados apenas pela Bíblia e pelas obras de Shakespeare, com mais de 4 bilhões de cópias vendidas em diversas línguas. Conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos, criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne, entre outros.


Sobre a edição



Padrão desses relançamentos que estão saindo da Agatha. Capa dura, folhas amareladas e capa linda!

Nas telinhas

O livro foi adaptado para um a série de TV "Poirot". O episódio é o 4º da Nona temporada. 



Nota no Skoob

Xx Beijos xX



Deixe um comentário

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Resenha: A Mansão Hollow - Agatha Christie

A Mansão Hollow
Autor: Agatha Christie
Ano: 2014 
Páginas: 256
Editora: Nova Fronteira
Sinopse: Um inofensivo convite para almoçar na Mansão Hollow logo se transforma em mais um caso a ser desvendado por Hercule Poirot. A cena do crime parece um tanto artificial - o corpo de um homem agonizando na beira da piscina, sua mulher logo ao lado segurando um revólver, e ainda três testemunhas. Seria na verdade uma encenação, uma brincadeira de mau gosto para provocar o detetive? Infelizmente, para a vítima, não. Indo contra todas as evidências, Poirot não demora a descobrir que a arma que aquela mulher tinha nas mãos não era a mesma que matou seu marido. O que aconteceu, então?

O que achei


"A verdade, por mais amarga que seja, pode ser aceita e tecida por um padrão de vida."




Diferente dos outros livros que já li da Agatha Christie, em "A mansão Hollow" o crime não acontece logo de cara. Somos apresentados aos personagens e os conflitos familiares e amores não resolvidos entre eles ate o seu caminho para o final de semana na mansão Hollow.
O crime de fato acontece quase na metade do livro, uma noite após todos chegarem à mansão.
Todos não. Um convidado muito especial, o famoso detetive Hercule Poirot ainda não havia chego.
Claro, como um bom faro para crimes, Poirot chega a tempo para encontrar uma cena de crime "dramática" a beira da piscina. Um homem homem e a sua esposa so seu lado com o revolve na mão. Tão minimamente feita e teatral que a princípio o detetive crê ser uma cena de boas vindas para ele.
Ate que percebe que o crime é real. E todos na mansão são suspeitos. Afinal, o obvio nunca o interessa.
Confesso que já nesse ponto eu fiquei feliz com a morte de John (que mórbido!). Serio! Que personagem asqueroso. O livro na verdade é cheio de personagens que causam antipatia. Para mim, por exemplo, Hanrietta. Arg!
Mas não pense você que isso é algo ruim. Pelo contrário. Pior que um livro cheio de personagens que causam raiva, é um livro cheio de personagens que não fazem diferença. O que não acontece com "A mansão Hollow". Cada personagens tinha o seu lugar e importância na história. E que história! A vida dessas pessoas dariauma novela mexicana daquelas! Haha.




E meu Deus! Que divo Poirot estava nesse livro haha! Ele dava umas respostas na "lata" em uma personagem odiada que eu quase beijei as páginas! 
Sobre o final, decepcionada não é bem a palavra. Mas, apesar de bem justificado, eu queria que tivesse sido outra pessoa "para variar". Que pavor de dar spoiler! 



Este livro, por fim, foi incrível! Muito mais que o mistério-solução que normalmente encontramos nos romances de Agatha. Acredito que ate hoje esse livro foi o que mais me envolveu. Tanto que o devorei em um dia! Rosto sorridente com olhos em forma de coração

Apaixonante. Entrou para o meu top 5, com certeza!

Sobre a autora

Dame Agatha Mary Clarissa Mallowan (Torquay, 15 de Setembro de 1890 — Wallingford, 12 de Janeiro de 1976), mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica, autora de mais de oitenta livros. Seus livros são dos mais traduzidos de todo o planeta, superados apenas pela Bíblia e pelas obras de Shakespeare, com mais de 4 bilhões de cópias vendidas em diversas línguas. Conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos, criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne, entre outros.


Sobre a edição



Padrão desses relançamentos que estão saindo da Agatha. Capa dura, folhas amareladas e capa linda!

Nas telinhas

O livro foi adaptado para um a série de TV "Poirot". O episódio é o 4º da Nona temporada. 



Nota no Skoob

Xx Beijos xX