Menina Má
Autor: Willian March
Ano: 2016
Páginas: 272
Editora: Darkside
Sinopse: Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também. MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.

O que achei


"Se eu der para você uma cesta de beijinhos, o que você me dá de volta?"

Rhoda tem 8 anos, é absolutamente encantadora e não tem um adulto ao seu redor que não faça exatamente o que ela quer. É esperta e educada. Mora com a mãe (o pai mora em outro estado a trabalho) e é um exemplo de comportamento. Ou não. Coisas estranhas passam a acontecem com aqueles que não fazem o que a garotinha quer. Mas será que um anjo poderia ter pensamentos sombrios?



Assim como é destacado na introdução, a escrita do livro foi em meio a popularização da psicanálise nos EUA, então nele encontramos MUITAS referências a Freud, análise "meu analista disse isso", "o analista dele disse" e "Freud disse". O que eu como psicóloga adoro! Porém, confesso que achei algumas observações forçadas e fora de contexto. Claro que foi um prazer ver um livro com temática de crianças psicopatas com um toque de análise psicanalítica, porém não sei se para um leitor que não se interesse tanto na parte teórica possa achar isso tão atrativo.

Quando coloquei em cima que algumas passagens me pareceram forçadas, quis dizer que em alguns momentos as análises psicanalíticas ou "o analista dele disse" pareciam mais formas que o autor encontrou de parecer mais verosímil.  O que achei desnecessário já que a forma de narrar do autor é interessante o suficiente para que nos interessemos pela vida daquelas pessoas.

Claro que é certo observar que em meio às primeiras discussões sobre algo tão novo como a Psicanalise tornaram as pessoas curiosas sobre aquela tal de "associação livre", "recalque", "perversão". O que "contagiou" a narrativa do autor ao falar de um tema que envolve tanto a psique humana como uma criança com instintos tão obscuros como Rhoda.

Por fim, destaco o quão prazeirosa foi a leitura de "Menina Má" não só por este ser um tema que me interesse tanto e como psicóloga ame a análise de crianças, mas pela forma do autor contar uma história tão pesada de uma forma tao interessante. Espero poder ver o filme em breve.



Sobre o autor


William March nasceu em uma família pobre no Alabama, em 1893. Alistou-se na Marinha e combateu na Primeira Guerra Mundial, tendo recebido condecorações dos governos norteamericano e francês. Largou a farda logo após o conflito, e os horrores do confronto lhe inspiraram a escrever seu primeiro romance, Company K. Publicou seis romances e quatro compilações de contos. Morreu em 1954, um mês após o lançamento do seu livro mais celebrado, Menina Má.

Sobre a edição:

Nota no Skoob


Beijos!


Deixe um comentário

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Resenha: Menina Má - Willian March

Menina Má
Autor: Willian March
Ano: 2016
Páginas: 272
Editora: Darkside
Sinopse: Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também. MENINA MÁ é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter.

O que achei


"Se eu der para você uma cesta de beijinhos, o que você me dá de volta?"

Rhoda tem 8 anos, é absolutamente encantadora e não tem um adulto ao seu redor que não faça exatamente o que ela quer. É esperta e educada. Mora com a mãe (o pai mora em outro estado a trabalho) e é um exemplo de comportamento. Ou não. Coisas estranhas passam a acontecem com aqueles que não fazem o que a garotinha quer. Mas será que um anjo poderia ter pensamentos sombrios?



Assim como é destacado na introdução, a escrita do livro foi em meio a popularização da psicanálise nos EUA, então nele encontramos MUITAS referências a Freud, análise "meu analista disse isso", "o analista dele disse" e "Freud disse". O que eu como psicóloga adoro! Porém, confesso que achei algumas observações forçadas e fora de contexto. Claro que foi um prazer ver um livro com temática de crianças psicopatas com um toque de análise psicanalítica, porém não sei se para um leitor que não se interesse tanto na parte teórica possa achar isso tão atrativo.

Quando coloquei em cima que algumas passagens me pareceram forçadas, quis dizer que em alguns momentos as análises psicanalíticas ou "o analista dele disse" pareciam mais formas que o autor encontrou de parecer mais verosímil.  O que achei desnecessário já que a forma de narrar do autor é interessante o suficiente para que nos interessemos pela vida daquelas pessoas.

Claro que é certo observar que em meio às primeiras discussões sobre algo tão novo como a Psicanalise tornaram as pessoas curiosas sobre aquela tal de "associação livre", "recalque", "perversão". O que "contagiou" a narrativa do autor ao falar de um tema que envolve tanto a psique humana como uma criança com instintos tão obscuros como Rhoda.

Por fim, destaco o quão prazeirosa foi a leitura de "Menina Má" não só por este ser um tema que me interesse tanto e como psicóloga ame a análise de crianças, mas pela forma do autor contar uma história tão pesada de uma forma tao interessante. Espero poder ver o filme em breve.



Sobre o autor


William March nasceu em uma família pobre no Alabama, em 1893. Alistou-se na Marinha e combateu na Primeira Guerra Mundial, tendo recebido condecorações dos governos norteamericano e francês. Largou a farda logo após o conflito, e os horrores do confronto lhe inspiraram a escrever seu primeiro romance, Company K. Publicou seis romances e quatro compilações de contos. Morreu em 1954, um mês após o lançamento do seu livro mais celebrado, Menina Má.

Sobre a edição:

Nota no Skoob


Beijos!