Cinder (Crônicas Lunares #1)
Autor: Marissa Meyer
Ano: 2013
Páginas: 448
Editora: Rocco
Sinopse: Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica. Primeiro volume da série Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído.

O que achei

No primeiro volume das "Crônicas Lunares" somos apresentados a Cinder, uma garota metade ciborgue metade humana que mora na terra. Porém a terra não é mais como antes. A Quarta guerra mundial já aconteceu e em Nova Pequim, uma doença chamada Letumose esta devastando a cidade. A cura não é conhecida. Quando sua meia irmã contrai a doença, Cinder é entregue pela madrastra como cobaia para pesquisas. E nessas pesquisas que Cinder sabe mais sobre a sua origem.

Cinder fan art by MiraPau
Porém, a doença não parece ser o maior problema da terra. A rainha Levana, dos Lunares, ameaça declarar guerra ao planeta se o príncipe herdeiro não aceitar seus termos de paz. O casamento.

Mas, aviso para não esperar todos os elementos famosos de Cinderela, a autora usa os acontecimentos de uma forma singela e que você vai "pescando" nas cenas. Um grande destaque do livro com certeza são os personagens. Cinder foi uma personagem que eu amei. É jovem, é metade humana e metade ciborgue e mecânica. E eu adorei como nada nela foi estereotipado. Ou até mesmo ela vestiu o papel de coitadinha. É determinada e corajosa. Eu gostei muito do príncipe Kai, e de como foi desenvolvida a sua personalidade (fugindo dos príncipes de livro). E até mesmo amei a realidade das atitudes de Adri. A madrasta má. E meu deus?! O que falar de Iko, a androide mais fofa do mundo.

by Andíree

A construção de mundo é ótima, assim como a caracterização dos personagens. Você consegue visualizar bem o que a autora descreve o que eu amo! Sou dessas apaixonadas por procurar fanart para ter melhor experiência possível estão me joguei. A forma como a autora descreve cada detalhe é tão apaixonante que eu passei hoooooras vendo artes de fãs sobre o mundo criado. Outro ponto super a favor é a construção politica do mundo. É muito interessante ver como o livro traz essa discussão sem inundar o livro de guerra, destruição e rebelião. Achei bem pertinente com o mundo atual que vivemos que algumas das maiores guerras são discutidas em uma mesa de escritório entre líderes mundiais que decidem nossas vidas. Desse foco, puxamos para o fato de que o romance não é o ponto principal do livro 💗. Já cansei de falar como em livros desse estilo eu não gosto quando os personagens ficam "dane-se o mundo eu quero amar!!!", aqui os personagens protagonistas tem o sentimento (e o sentimento real e maduro) de analisar o todo e tudo que o romance deles podem afetar. Eu adorei isso. Afinal chega de jovens que só pensam no seu umbigo não é mesmo?

tumblr
Por fim, destaco este livro como um dos melhores "recontos" que já li. A autora soube trabalhar com as referências do clássico sem se tornar repetitivo ou clichê. Reconhecemos os elementos sem ficar com aquela coisa "aí tudo se resolve no baile e no sapato". E inclusive não espere que tudo ocorra 100% bem sempre de uma forma disney de ser. Afinal, quem dera tudo na vida se resolvesse com um beijo não é mesmo?
tumblr
Um ponto que não me desagradou, mas que acredito que muitos podem se incomodar é o fator surpresa. Uma das grandes revelações do livro (talvez a mais importante) não foi surpresa pra mim. Eu descobri, acredito, na metade da leitura. Porém, novamente, este não foi um ponto que me desagradou, ou que fez com que o final fosse menos empolgante. Pelo contrário, o fato de eu saber me fez prestar mais atenção nos detalhes e nos acontecimentos ao redor. Já estou empolgadíssima pelos outros volumes. Uma das melhores leituras da #MLI2016 certeza! Partiu Scarlet e Cress!

by buttslayerx33
Sobre o autor


Marissa vive em Tacoma, Washington, com o seu noivo e dois gatos. Além de uma leve obsessão por livros e escrever, é uma grande degustadora de vinhos e caçadora de antiguidades.

Sobre a edição


Apesar dos livros da editora Rocco serem caros, na maioria das vezes vale muito a pena. E as edições das Crônicas Lunares são uma delas. Bem acabado, diagração linda e cheia de detalhes e um papel super gostoso de pegar. O tamanho do livro é bem confortável de ficar segurando e pra mim que ando de ônibus foi perfeito. Só elogios!

Nota no Skoob


Deixe um comentário

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Resenha: Cinder (Crônicas Lunares #1) - Marissa Meyer

Cinder (Crônicas Lunares #1)
Autor: Marissa Meyer
Ano: 2013
Páginas: 448
Editora: Rocco
Sinopse: Num mundo dividido entre humanos e ciborgues, Cinder é uma cidadã de segunda classe. Com um passado misterioso, esta princesa criada como gata borralheira vive humilhada pela sua madrasta e é considerada culpada pela doença de sua meia-irmã. Mas quando seu caminho se cruza com o do charmoso príncipe Kai, ela acaba se vendo no meio de uma batalha intergaláctica, e de um romance proibido, neste misto de conto de fadas com ficção distópica. Primeiro volume da série Crônicas Lunares, Cinder une elementos clássicos e ação eletrizante, num universo futurístico primorosamente construído.

O que achei

No primeiro volume das "Crônicas Lunares" somos apresentados a Cinder, uma garota metade ciborgue metade humana que mora na terra. Porém a terra não é mais como antes. A Quarta guerra mundial já aconteceu e em Nova Pequim, uma doença chamada Letumose esta devastando a cidade. A cura não é conhecida. Quando sua meia irmã contrai a doença, Cinder é entregue pela madrastra como cobaia para pesquisas. E nessas pesquisas que Cinder sabe mais sobre a sua origem.

Cinder fan art by MiraPau
Porém, a doença não parece ser o maior problema da terra. A rainha Levana, dos Lunares, ameaça declarar guerra ao planeta se o príncipe herdeiro não aceitar seus termos de paz. O casamento.

Mas, aviso para não esperar todos os elementos famosos de Cinderela, a autora usa os acontecimentos de uma forma singela e que você vai "pescando" nas cenas. Um grande destaque do livro com certeza são os personagens. Cinder foi uma personagem que eu amei. É jovem, é metade humana e metade ciborgue e mecânica. E eu adorei como nada nela foi estereotipado. Ou até mesmo ela vestiu o papel de coitadinha. É determinada e corajosa. Eu gostei muito do príncipe Kai, e de como foi desenvolvida a sua personalidade (fugindo dos príncipes de livro). E até mesmo amei a realidade das atitudes de Adri. A madrasta má. E meu deus?! O que falar de Iko, a androide mais fofa do mundo.

by Andíree

A construção de mundo é ótima, assim como a caracterização dos personagens. Você consegue visualizar bem o que a autora descreve o que eu amo! Sou dessas apaixonadas por procurar fanart para ter melhor experiência possível estão me joguei. A forma como a autora descreve cada detalhe é tão apaixonante que eu passei hoooooras vendo artes de fãs sobre o mundo criado. Outro ponto super a favor é a construção politica do mundo. É muito interessante ver como o livro traz essa discussão sem inundar o livro de guerra, destruição e rebelião. Achei bem pertinente com o mundo atual que vivemos que algumas das maiores guerras são discutidas em uma mesa de escritório entre líderes mundiais que decidem nossas vidas. Desse foco, puxamos para o fato de que o romance não é o ponto principal do livro 💗. Já cansei de falar como em livros desse estilo eu não gosto quando os personagens ficam "dane-se o mundo eu quero amar!!!", aqui os personagens protagonistas tem o sentimento (e o sentimento real e maduro) de analisar o todo e tudo que o romance deles podem afetar. Eu adorei isso. Afinal chega de jovens que só pensam no seu umbigo não é mesmo?

tumblr
Por fim, destaco este livro como um dos melhores "recontos" que já li. A autora soube trabalhar com as referências do clássico sem se tornar repetitivo ou clichê. Reconhecemos os elementos sem ficar com aquela coisa "aí tudo se resolve no baile e no sapato". E inclusive não espere que tudo ocorra 100% bem sempre de uma forma disney de ser. Afinal, quem dera tudo na vida se resolvesse com um beijo não é mesmo?
tumblr
Um ponto que não me desagradou, mas que acredito que muitos podem se incomodar é o fator surpresa. Uma das grandes revelações do livro (talvez a mais importante) não foi surpresa pra mim. Eu descobri, acredito, na metade da leitura. Porém, novamente, este não foi um ponto que me desagradou, ou que fez com que o final fosse menos empolgante. Pelo contrário, o fato de eu saber me fez prestar mais atenção nos detalhes e nos acontecimentos ao redor. Já estou empolgadíssima pelos outros volumes. Uma das melhores leituras da #MLI2016 certeza! Partiu Scarlet e Cress!

by buttslayerx33
Sobre o autor


Marissa vive em Tacoma, Washington, com o seu noivo e dois gatos. Além de uma leve obsessão por livros e escrever, é uma grande degustadora de vinhos e caçadora de antiguidades.

Sobre a edição


Apesar dos livros da editora Rocco serem caros, na maioria das vezes vale muito a pena. E as edições das Crônicas Lunares são uma delas. Bem acabado, diagração linda e cheia de detalhes e um papel super gostoso de pegar. O tamanho do livro é bem confortável de ficar segurando e pra mim que ando de ônibus foi perfeito. Só elogios!

Nota no Skoob