Highland Dragon
Autor: Kimberly Killion
Ano: 2009
Páginas: 352
Editora: Zebra (ebook)
Sinopse: Escócia1502: Akira Neish foi criada como uma camponesa, sua barriga vazia e sua família a mercê dos caprichos cruéis do laird de seu clã.
Para as crianças do clã, a marca de nascença que ela carrega significa que é uma bruxa.
Mas ela não é nem camponesa nem bruxa - e agora o homem que sabe a verdade voltou para reclamá-la como esposa.
Calin MacLeod conhece os segredos de Akira e para vingar seu pai, o jovem e sensual laird deve se casar com ela. A natureza ardente da mulher é tão feroz quanto a sua. No entanto, a paixão que eles compartilham - e as verdades que não podem mais permanecerem ocultas - poderiam dividir toda a Escócia.

O que achei


O livro conta a história de Akira Neish, filha biológica de um cruel Laird. Ele matou a sua mãe após ver que ela dera a luz a mais uma menina, e o seu destino seria o mesmo se o jovem Calin, que estava escondido vendo a cena, não a tivesse capturado e entregado para uma família adotiva após ver o mesmo homem matar em seguida o seu pai. Calin a marca com o brasão da sua família, pois um dia se casaria com ela, a herdeira do Laird, e vingaria a morte do seu pai.

Akira cresce alheia aos acontecimentos do seu passado e apenas sabe que tem um benfeitor que a ajuda e que um dia se casará com ela. SÓ QUE: Akira está longe de ser uma mocinha meiga e o guerreiro vai ter que REBOLAR para ficar com ela.

Meu deus que mocinho é esse? FOFO DEMAIS! Apaixonante. Uma coisa que eu amo em livros de Highlander é o fato da grande maioria deles serem ogros por fora e fofíssimos por dentro. Sempre tratando as mocinhas com proteção, carinho e fofura. O fato do mocinho praticamente venerar a mocinha é verdadeiramente lindo de ver.

Engraçado que ao ver o nome do livro, eu pensei que esse "Dragão" seria uma referência a um mocinho diabólico (ainda mais com essa sinopse falando sobre vingança). Mas meus caros amigos, o dragão aqui é a mocinha ! Ô bicha difícil! Cabeça dura, com uma língua afiada e que não leva desaforo pra casa. Mas que sabe ser fofinha quando quer, eu admito. Ri muito deles.

Algo que eu achei muito interessante no livro vou o fato de abordar (mesmo que não como assunto principal) a questão da violência doméstica. Já que naquela época as esposas eram "pertences" do marido e eles poderiam fazer o que bem quisesse. Eu amei o fato do mocinho abominar tal prática e até mesmo achar ofensivo quando a mocinha pede para que ele prometa que não a tocará dessa forma mesmo quando ela o provocar até o limite. Uma gracinha. Eu gostei muito do fato da autora ter colocado esse assunto na história e de principalmente de como os protagonistas abominam e se mobilizam para que tal prática não aconteça no clã🏼. E o que falar da aula de poder feminino que o livro dá? Maravilhosas as passagens das mulheres unidas lutando por um futuro melhor dentro de um clã machista?

E meu deus, diferente da maioria dos romances históricos que eu já li, este tem um vilão demoníaco! Confesso que por várias vezes pulei alguns atos bárbaros dele porque não queria lê-los em um livro que devia ser leve (aquelas dramáticas). Tenso.

Por outro lado, o livro tem vários momentos engraçados. O que foi a Akira exigindo que ele tome banho e tire a barba antes que tome liberdades com ela?

Por fim, este foi mais um histórico maravilhoso, adorei a mensagem feminista que o livro passou e também a capacidade da autora de abordar temas sérios sem se tornar enfadonho ou dramático, pelo contrário, soube fazer tudo isso no passar de páginas muito fofas e engraçadas. Recomendo mil.

Sobre o autor


Kimberly Killion é autora de romances sensuais com a temática medieval. 

Nota no Skoob

Beijos!



Deixe um comentário

terça-feira, 7 de junho de 2016

Resenha: Highland Dragon - Kimberly Killion

Highland Dragon
Autor: Kimberly Killion
Ano: 2009
Páginas: 352
Editora: Zebra (ebook)
Sinopse: Escócia1502: Akira Neish foi criada como uma camponesa, sua barriga vazia e sua família a mercê dos caprichos cruéis do laird de seu clã.
Para as crianças do clã, a marca de nascença que ela carrega significa que é uma bruxa.
Mas ela não é nem camponesa nem bruxa - e agora o homem que sabe a verdade voltou para reclamá-la como esposa.
Calin MacLeod conhece os segredos de Akira e para vingar seu pai, o jovem e sensual laird deve se casar com ela. A natureza ardente da mulher é tão feroz quanto a sua. No entanto, a paixão que eles compartilham - e as verdades que não podem mais permanecerem ocultas - poderiam dividir toda a Escócia.

O que achei


O livro conta a história de Akira Neish, filha biológica de um cruel Laird. Ele matou a sua mãe após ver que ela dera a luz a mais uma menina, e o seu destino seria o mesmo se o jovem Calin, que estava escondido vendo a cena, não a tivesse capturado e entregado para uma família adotiva após ver o mesmo homem matar em seguida o seu pai. Calin a marca com o brasão da sua família, pois um dia se casaria com ela, a herdeira do Laird, e vingaria a morte do seu pai.

Akira cresce alheia aos acontecimentos do seu passado e apenas sabe que tem um benfeitor que a ajuda e que um dia se casará com ela. SÓ QUE: Akira está longe de ser uma mocinha meiga e o guerreiro vai ter que REBOLAR para ficar com ela.

Meu deus que mocinho é esse? FOFO DEMAIS! Apaixonante. Uma coisa que eu amo em livros de Highlander é o fato da grande maioria deles serem ogros por fora e fofíssimos por dentro. Sempre tratando as mocinhas com proteção, carinho e fofura. O fato do mocinho praticamente venerar a mocinha é verdadeiramente lindo de ver.

Engraçado que ao ver o nome do livro, eu pensei que esse "Dragão" seria uma referência a um mocinho diabólico (ainda mais com essa sinopse falando sobre vingança). Mas meus caros amigos, o dragão aqui é a mocinha ! Ô bicha difícil! Cabeça dura, com uma língua afiada e que não leva desaforo pra casa. Mas que sabe ser fofinha quando quer, eu admito. Ri muito deles.

Algo que eu achei muito interessante no livro vou o fato de abordar (mesmo que não como assunto principal) a questão da violência doméstica. Já que naquela época as esposas eram "pertences" do marido e eles poderiam fazer o que bem quisesse. Eu amei o fato do mocinho abominar tal prática e até mesmo achar ofensivo quando a mocinha pede para que ele prometa que não a tocará dessa forma mesmo quando ela o provocar até o limite. Uma gracinha. Eu gostei muito do fato da autora ter colocado esse assunto na história e de principalmente de como os protagonistas abominam e se mobilizam para que tal prática não aconteça no clã🏼. E o que falar da aula de poder feminino que o livro dá? Maravilhosas as passagens das mulheres unidas lutando por um futuro melhor dentro de um clã machista?

E meu deus, diferente da maioria dos romances históricos que eu já li, este tem um vilão demoníaco! Confesso que por várias vezes pulei alguns atos bárbaros dele porque não queria lê-los em um livro que devia ser leve (aquelas dramáticas). Tenso.

Por outro lado, o livro tem vários momentos engraçados. O que foi a Akira exigindo que ele tome banho e tire a barba antes que tome liberdades com ela?

Por fim, este foi mais um histórico maravilhoso, adorei a mensagem feminista que o livro passou e também a capacidade da autora de abordar temas sérios sem se tornar enfadonho ou dramático, pelo contrário, soube fazer tudo isso no passar de páginas muito fofas e engraçadas. Recomendo mil.

Sobre o autor


Kimberly Killion é autora de romances sensuais com a temática medieval. 

Nota no Skoob

Beijos!