Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar
(Os Números do Amor # 1)
Autor: Sarah MacLean
Ano: 2016 
Páginas: 384
Editora: Arqueiro
SinopseA sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres. E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato. Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres. Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

O que achei

O livro de hoje pode ser também chamado de "o melhor livro do evento de romances de época da Editora Arqueiro em Macapá". Marcou.

"Beijos não deve deixá-la satisfeita. Eles devem deixar desejando mais. "

Calpúrnia tem 28 anos, e mesmo sendo considerada jovem atualmente, perante a sociedade da época ela era considerada uma solteirona.

Cansada da vida que levava de frequentar bailes esperando por convites de dança que não aconteciam ou então de aguentar os olhares de pena pela sua irmã caçula ter encontrado um bom partido para  casar e ela não recebia propostas a não ser de caça fortunas e viciados em jogos.

Após escutar de parentes o quão é miserável a sua situação, ela corre ao escritório do seu irmão. Movida pela cólera do momento, Callie desabafa com o irmão sobre a injustiça da sociedade. Em que ela tem que aceitar o seu destino e os homens podem fazer o que quiserem. O irmão então a induz a fazer uma lista com coisas que ela gostaria de fazer, mas que só homens podem.


1. Beijar alguém... apaixonadamente.
2. Fumar charuto e beber uísque.
3. Montar com as pernas abertas.
4. Esgrimir
5. Assistir a um duelo. 
6. Disparar uma pistola.
7. Jogar (em um clube p/cavalheiros).
8. Dançar todas as danças de um baile.
9. Ser considerada linda. Pelo menos uma vez.

Gabriel é um libertino convicto. É conhecido na sociedade assim e não tem vergonha disso. Porém, tudo muda quando o irmão gêmeo Nicholas o comunica que eles têm uma meia-irmã por parte da mãe, que os abandonou, e que ela não tem ninguém no mundo. Então irá ficar com eles. A irmã italiana Juliana Fiore, tem sangue quente e não tem deseja ficar na Inglaterra com irmãos que parecem não querê-la por perto.

"- Por que está aqui?
E então, fosse por coragem, covardia ou xerez de mais - jamais saberia -, decidiu responder. Afinal de contas, a noite não podia piorar.
Em um sussurro, anunciou:
- Vim pedir que me beijasse."

Ao ser abordado pela inesperada Lady Calpúrnia pedindo um beijo, Gabriel é envolvido com uma jovem diferente de todas que já conheceu antes.

Gabriel propõe a Callie que em troca do beijo ela treine a sua irmã para ser apresentado a sociedade. Só isso. E mesmo não querendo se envolver com um possível escândalo caso a lista de Callie seja descoberta, ele não consegue ficar longe e se vê cada vez mais envolvido pela Lady determinada.


"Tentei esquecer aquele beijo e o passeio de carruagem e o clube de esgrima mas a senhorita parece ter se instalado na minha memória."


Um ponto muito interessante na escrita da autora é que ela coloca um toque a mais em seus livros. Em que sempre temos uma mensagem importante a ser dada sem ser enfadonha, sem deixar de ser romântico de fazer suspirar ou sexy de deixar encabulado.


Sarah não fala só de amor. Ela fala sobre destino e sobre empoderamento feminino, o que é um tema extremamente pertinente para o momento atual em que vivemos. Pois, Callie é uma personagem que não aceita ser o que a sociedade espera que ela seja e contesta o lugar das mulheres e também da desigualdade de direitos femininos e masculinos.


"Eu passei vinte e oito anos fazendo o que todo mundo a minha volta esperava que eu fizesse ... ser o que todos esperavam que eu fosse. E é horrível para uma pessoa não ter outra visão de si mesmo. "

A cada item da lista, podemos ver Callie desabrochar. Descobrir o seu verdadeiro e nos encantar a cada virar de página.

Nove regras te conquista desde a primeira página lida. Sarah virou a minha autora favorita do estilo é assim como repeti sem parar durante a minha explanação do livro: Tem que ler! É apaixonante, é necessário e é de fazer o coração bater em um ritmo descontrolado.


"O amor não é unilateral e egoísta. É pleno e generoso, e modifica a vida da melhor maneira possível. O amor não destrói, Gabriel. Ele cria."


Sobre o autor


Sarah MacLean passou grande parte de sua infância entre os livros da biblioteca de sua cidade, onde desenvolveu a paixão por história e um compromisso para com o gênero romance. O seu amor por todos os fatos históricos a ajudaram na sua formação em História e Antropologia Cultural no Smith College, e Educação na Universidade de Harvard, antes de se mudar para Nova Iorque, onde finalmente escreveu o seu primeiro livro. Desde então, os romances de MacLean tem sido best-sellers no The New York Times e USA Today, traduzidos em mais de uma dúzia de idiomas, e indicados para vários prêmios. MacLean estourou com o livro Nine Rules To Break When Romancing A Rake, seu primeiro best-seller aclamado pela crítica, e sua primeira série de três livros. No início de 2012, lançou sua nova série pré-vitoriana, Rules of Scoundrels, com o livro A Rogue by Any Other Name, que recebeu em 2013 o Prêmio RITA (Romance Writers of America). O terceiro livro da série, No Good Duke Goes Unpunished, ganhou o RITA Award em 2014. Quando não está escrevendo um romance, Sarah viaja pelo país para discutir sua posição nos estudos culturais e do gênero. A autora é colunista no jornal americano The Washington Post, e suas colunas têm aparecido no The New York Times, Book Reviews e Parents Magazine. Ela também é defensora das questões relativas à educação e alfabetização. Sarah vive em Nova Iorque com o marido, a filha, o cachorro e uma coleção gigantesca de romances.

Sobre a edição


O que falar dessa capa apaixonante? No tempo em que li o livro, a minha vontade era andar por aí com ele de frente para todos verem o quanto ele era lindo (aquelas haha). A diagramação também uma gracinha, com uma fonte super confortável. Adorei.


Nota no Skoob:  (4,5)




Beijos!


Deixe um comentário

terça-feira, 24 de maio de 2016

Resenha: Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar - Sarah MacLean

Nove Regras a Ignorar Antes de Se Apaixonar
(Os Números do Amor # 1)
Autor: Sarah MacLean
Ano: 2016 
Páginas: 384
Editora: Arqueiro
SinopseA sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres. E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato. Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres. Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

O que achei

O livro de hoje pode ser também chamado de "o melhor livro do evento de romances de época da Editora Arqueiro em Macapá". Marcou.

"Beijos não deve deixá-la satisfeita. Eles devem deixar desejando mais. "

Calpúrnia tem 28 anos, e mesmo sendo considerada jovem atualmente, perante a sociedade da época ela era considerada uma solteirona.

Cansada da vida que levava de frequentar bailes esperando por convites de dança que não aconteciam ou então de aguentar os olhares de pena pela sua irmã caçula ter encontrado um bom partido para  casar e ela não recebia propostas a não ser de caça fortunas e viciados em jogos.

Após escutar de parentes o quão é miserável a sua situação, ela corre ao escritório do seu irmão. Movida pela cólera do momento, Callie desabafa com o irmão sobre a injustiça da sociedade. Em que ela tem que aceitar o seu destino e os homens podem fazer o que quiserem. O irmão então a induz a fazer uma lista com coisas que ela gostaria de fazer, mas que só homens podem.


1. Beijar alguém... apaixonadamente.
2. Fumar charuto e beber uísque.
3. Montar com as pernas abertas.
4. Esgrimir
5. Assistir a um duelo. 
6. Disparar uma pistola.
7. Jogar (em um clube p/cavalheiros).
8. Dançar todas as danças de um baile.
9. Ser considerada linda. Pelo menos uma vez.

Gabriel é um libertino convicto. É conhecido na sociedade assim e não tem vergonha disso. Porém, tudo muda quando o irmão gêmeo Nicholas o comunica que eles têm uma meia-irmã por parte da mãe, que os abandonou, e que ela não tem ninguém no mundo. Então irá ficar com eles. A irmã italiana Juliana Fiore, tem sangue quente e não tem deseja ficar na Inglaterra com irmãos que parecem não querê-la por perto.

"- Por que está aqui?
E então, fosse por coragem, covardia ou xerez de mais - jamais saberia -, decidiu responder. Afinal de contas, a noite não podia piorar.
Em um sussurro, anunciou:
- Vim pedir que me beijasse."

Ao ser abordado pela inesperada Lady Calpúrnia pedindo um beijo, Gabriel é envolvido com uma jovem diferente de todas que já conheceu antes.

Gabriel propõe a Callie que em troca do beijo ela treine a sua irmã para ser apresentado a sociedade. Só isso. E mesmo não querendo se envolver com um possível escândalo caso a lista de Callie seja descoberta, ele não consegue ficar longe e se vê cada vez mais envolvido pela Lady determinada.


"Tentei esquecer aquele beijo e o passeio de carruagem e o clube de esgrima mas a senhorita parece ter se instalado na minha memória."


Um ponto muito interessante na escrita da autora é que ela coloca um toque a mais em seus livros. Em que sempre temos uma mensagem importante a ser dada sem ser enfadonha, sem deixar de ser romântico de fazer suspirar ou sexy de deixar encabulado.


Sarah não fala só de amor. Ela fala sobre destino e sobre empoderamento feminino, o que é um tema extremamente pertinente para o momento atual em que vivemos. Pois, Callie é uma personagem que não aceita ser o que a sociedade espera que ela seja e contesta o lugar das mulheres e também da desigualdade de direitos femininos e masculinos.


"Eu passei vinte e oito anos fazendo o que todo mundo a minha volta esperava que eu fizesse ... ser o que todos esperavam que eu fosse. E é horrível para uma pessoa não ter outra visão de si mesmo. "

A cada item da lista, podemos ver Callie desabrochar. Descobrir o seu verdadeiro e nos encantar a cada virar de página.

Nove regras te conquista desde a primeira página lida. Sarah virou a minha autora favorita do estilo é assim como repeti sem parar durante a minha explanação do livro: Tem que ler! É apaixonante, é necessário e é de fazer o coração bater em um ritmo descontrolado.


"O amor não é unilateral e egoísta. É pleno e generoso, e modifica a vida da melhor maneira possível. O amor não destrói, Gabriel. Ele cria."


Sobre o autor


Sarah MacLean passou grande parte de sua infância entre os livros da biblioteca de sua cidade, onde desenvolveu a paixão por história e um compromisso para com o gênero romance. O seu amor por todos os fatos históricos a ajudaram na sua formação em História e Antropologia Cultural no Smith College, e Educação na Universidade de Harvard, antes de se mudar para Nova Iorque, onde finalmente escreveu o seu primeiro livro. Desde então, os romances de MacLean tem sido best-sellers no The New York Times e USA Today, traduzidos em mais de uma dúzia de idiomas, e indicados para vários prêmios. MacLean estourou com o livro Nine Rules To Break When Romancing A Rake, seu primeiro best-seller aclamado pela crítica, e sua primeira série de três livros. No início de 2012, lançou sua nova série pré-vitoriana, Rules of Scoundrels, com o livro A Rogue by Any Other Name, que recebeu em 2013 o Prêmio RITA (Romance Writers of America). O terceiro livro da série, No Good Duke Goes Unpunished, ganhou o RITA Award em 2014. Quando não está escrevendo um romance, Sarah viaja pelo país para discutir sua posição nos estudos culturais e do gênero. A autora é colunista no jornal americano The Washington Post, e suas colunas têm aparecido no The New York Times, Book Reviews e Parents Magazine. Ela também é defensora das questões relativas à educação e alfabetização. Sarah vive em Nova Iorque com o marido, a filha, o cachorro e uma coleção gigantesca de romances.

Sobre a edição


O que falar dessa capa apaixonante? No tempo em que li o livro, a minha vontade era andar por aí com ele de frente para todos verem o quanto ele era lindo (aquelas haha). A diagramação também uma gracinha, com uma fonte super confortável. Adorei.


Nota no Skoob:  (4,5)




Beijos!