Grey
Autor: E.L. James
Ano: 2015 
Páginas: 528
Editora: Intrínseca
Sinopse: Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.
Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.
Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?

O que achei


Em "Grey" conhecemos o ponto de vista masculino da história contada pela personagem Ana na trilogia 50 tons de cinza.

Acredito que a história, pelo apelação midiática que teve, dispensa apresentações. Mas, resumindo, o livro gira em torno de uma jovem que conhece um misterioso executivo e uma atração explode entre eles. Porém, ele tem "gostos peculiares" (como o mesmo define) no campo sexual, e então ele apresenta a ela um novo mundo de descobertas e prazer.

Confesso que no início eu tive uma
Dificuldade enorme de reconhecer esse "Grey" com comentários em pensamento do tipo: "chupa baby" (no sentido de toma essa e não no sentido que você está pensando kkk), "controle é meu nome do meio querida" "às vezes é muito foda ser eu" estava esperando ter um "escuta aqui queridinha" em algum momento. 

Eu sinceramente acredito que a autora teve dificuldades de se acostumar a narrar de um ponto de vista masculino e acabou fazendo uma coisa meio estereotipada de gostosão de novela mexicana. E, por alguns momentos, um adolescente narcisista.
Mas com o tempo ela pega o jeito.

Quanto ao enredo, o livro é basicamente o ponto de vista de Grey sobre os acontecimentos de "Cinquenta tons de cinza" o que não foi decepcionante já que eu sabia que era disso o que ele se tratava. Ele é aquela velha resposta para as perguntas "o que será que o carinha pensou sobre isso" nos livros narrados pelas mocinhas.

Me deu algumas respostas? Deu. É indispensável na vida? Não.

Quem liga?


Por fim, foi um livro divertido de se ler (eu o peguei para ler em uma falta de energia) e acredito que no que se propõe faz um bom papel. Por favor, como diz na Bíblia literária: Não lereis safadinhos querendo encontrar a cura pra peste bubônica. É um livro para passar o tempo, para relaxar. Relaxa e goza.



Sobre o autor



EL James é o nome de guerra de uma jovem escritora que se tornou um fenômeno literário que assinala um marco na Era Digital. A consagração veio há pouco, quando ela apareceu no topo da lista dos bestsellers do NY Times, na soma de livros de papel e livros eletrônicos. Em dose tripla. James fez uma trilogia, como Stiegg Larsson. 
Primeiro, ela surgiu na internet, pelas mãos de uma pequena editora americana. Depois, o enorme sucesso a empurrou para o papel. Agora, ela vai também para o cinema: a Universal comprou os direitos. Importante: a arrancada foi na base do boca a boca. Não houve campanhas de publicidade. 

Sobre a edição


A Íntriseca sempre arrasa nas edições. E com Grey não foi diferente. E principalmente em um livro "gordinho" (Grey tem mais de 500 páginas) a diagramação é muito importante. Páginas amareladas, boa fonte e o livro não é pesado. Foi bem confortável de ler.

Nas telinhas:  


A adaptação de "Cinquenta tons de Cinza" foi lançado no ano de 2015. O longa contou com a direção de Sam Taylor-Johnson e com os atores Jamie Dornan no papel de Christian Grey e Dakota Johnson no papel de Anastasia Steele. O filme pertence à UNIVERSAL PICTURES. Quanto a classificação, não conta com nú frontal, ficando assim com uma classificação 16 anos (o que dividiu alguma opiniões).




Sinopse: Anastasia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Uma dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey.

Alguns fãs dos livros criticaram algumas "liberdades artisticas" tomadas pela produção. Eu confesso que quando assisti já não lembrava tanto do filme rsrs. Agora que li o "Grey" vou tentar rever o filme para comparar.

O filme que aborda o segundo livro da série "Cinquenta tons mais escuros" já está sendo gravado juntamento com o terceiro "Cinquenta tons de liberdade" e serão lançados em 2017 e 2018 respectivamente.

Nota no Skoob


Xx Beijos xX


Deixe um comentário

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Resenha: Grey - E.L. James

Grey
Autor: E.L. James
Ano: 2015 
Páginas: 528
Editora: Intrínseca
Sinopse: Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.
Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.
Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?

O que achei


Em "Grey" conhecemos o ponto de vista masculino da história contada pela personagem Ana na trilogia 50 tons de cinza.

Acredito que a história, pelo apelação midiática que teve, dispensa apresentações. Mas, resumindo, o livro gira em torno de uma jovem que conhece um misterioso executivo e uma atração explode entre eles. Porém, ele tem "gostos peculiares" (como o mesmo define) no campo sexual, e então ele apresenta a ela um novo mundo de descobertas e prazer.

Confesso que no início eu tive uma
Dificuldade enorme de reconhecer esse "Grey" com comentários em pensamento do tipo: "chupa baby" (no sentido de toma essa e não no sentido que você está pensando kkk), "controle é meu nome do meio querida" "às vezes é muito foda ser eu" estava esperando ter um "escuta aqui queridinha" em algum momento. 

Eu sinceramente acredito que a autora teve dificuldades de se acostumar a narrar de um ponto de vista masculino e acabou fazendo uma coisa meio estereotipada de gostosão de novela mexicana. E, por alguns momentos, um adolescente narcisista.
Mas com o tempo ela pega o jeito.

Quanto ao enredo, o livro é basicamente o ponto de vista de Grey sobre os acontecimentos de "Cinquenta tons de cinza" o que não foi decepcionante já que eu sabia que era disso o que ele se tratava. Ele é aquela velha resposta para as perguntas "o que será que o carinha pensou sobre isso" nos livros narrados pelas mocinhas.

Me deu algumas respostas? Deu. É indispensável na vida? Não.

Quem liga?


Por fim, foi um livro divertido de se ler (eu o peguei para ler em uma falta de energia) e acredito que no que se propõe faz um bom papel. Por favor, como diz na Bíblia literária: Não lereis safadinhos querendo encontrar a cura pra peste bubônica. É um livro para passar o tempo, para relaxar. Relaxa e goza.



Sobre o autor



EL James é o nome de guerra de uma jovem escritora que se tornou um fenômeno literário que assinala um marco na Era Digital. A consagração veio há pouco, quando ela apareceu no topo da lista dos bestsellers do NY Times, na soma de livros de papel e livros eletrônicos. Em dose tripla. James fez uma trilogia, como Stiegg Larsson. 
Primeiro, ela surgiu na internet, pelas mãos de uma pequena editora americana. Depois, o enorme sucesso a empurrou para o papel. Agora, ela vai também para o cinema: a Universal comprou os direitos. Importante: a arrancada foi na base do boca a boca. Não houve campanhas de publicidade. 

Sobre a edição


A Íntriseca sempre arrasa nas edições. E com Grey não foi diferente. E principalmente em um livro "gordinho" (Grey tem mais de 500 páginas) a diagramação é muito importante. Páginas amareladas, boa fonte e o livro não é pesado. Foi bem confortável de ler.

Nas telinhas:  


A adaptação de "Cinquenta tons de Cinza" foi lançado no ano de 2015. O longa contou com a direção de Sam Taylor-Johnson e com os atores Jamie Dornan no papel de Christian Grey e Dakota Johnson no papel de Anastasia Steele. O filme pertence à UNIVERSAL PICTURES. Quanto a classificação, não conta com nú frontal, ficando assim com uma classificação 16 anos (o que dividiu alguma opiniões).




Sinopse: Anastasia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Uma dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey.

Alguns fãs dos livros criticaram algumas "liberdades artisticas" tomadas pela produção. Eu confesso que quando assisti já não lembrava tanto do filme rsrs. Agora que li o "Grey" vou tentar rever o filme para comparar.

O filme que aborda o segundo livro da série "Cinquenta tons mais escuros" já está sendo gravado juntamento com o terceiro "Cinquenta tons de liberdade" e serão lançados em 2017 e 2018 respectivamente.

Nota no Skoob


Xx Beijos xX