João e Maria
Autor: Neil Gaiman
Ano: 2015
Páginas: 56
Editora: Intrínseca
Sinopse: O prestigiado escritor Neil Gaiman e o brilhante ilustrador Lorenzo Mattotti se encontram para recontar o clássico João e Maria. Familiar como um sonho e perturbador como um pesadelo, o conto narra a saga de dois irmãos que, em tempos de crise e falta de esperança, são abandonados pelos próprios pais e precisam enfrentar com coragem os perigos de uma floresta sombria. Em um texto poético, Gaiman revive a tradição dos contos de fada, dando profundidade à aventura dos irmãos, mas sem abandonar a autenticidade e o talento único de mesclar realismo e fantasia que o transformaram em um dos maiores autores de sua geração. Mattotti, por sua vez, dá um ar inteiramente novo ao clássico. Seus traços criam um jogo de luz e sombra, permitindo que o leitor desvende aos poucos a imagem, assim como os segredos da história de João e Maria.

O que achei:

"João e Maria" é uma parceria entre Neil Gaiman e Lorenzo Mattotti. Encontramos aqui o conto original dos irmãos Grimm, ilustrado e contado do jeitinho do Neil.

A história é sobre um casal com dois filhos em um tempo difícil em que a comida é escassa. A mãe passa então a persuadir o marido para que ele deixe os filhos na floresta, pois assim só seriam os dois a morrer de fome.

Na primeira tentativa, as crianças voltam para casa (seguindo o caminho das pedrinhas brancas), mas na segunda não. João, acreditando que o pai não faria uma nova tentativa, não tinha nada para marcar o caminho. A não ser um pão que a mãe deu antes que eles fossem. Só que os pães deixados no caminho são comidos e eles se veem assim em meio a floresta. Até que acham uma cara coberta de doces de uma bizarra velhinha.

by Evalds Dajevskis
Muitos questionaram sobre a necessidade de um relançamento do conto original. Conto original porque no conteúdo de Neil Gaiman pouco tem de diferente do publicado pelos irmãos Grimm.

Porem, acredito que é mais que isso o possível intuito do reconto. Fazendo um paralelo com a modernidade, o que nós somos capazes de fazer em uma situação extrema?.

Precisamos discutir o que estamos virando. Ou melhor, o que o ambiente, as situações que vivemos podem nos afetar (ou não). Vemos notícias nos jornais, na TV, na internet. Os conflitos mundiais com atitudes extremas. E, infelizmente, fora postagens no facebook "team" país X/país Y não vejo discussões sobre o comportamento humano.

Sobre pais e mães tendo que fazer o mesmo que os pais de João e Maria. Ou das casas de doces que seduzem como um oásis em meio ao caos. Ou até mesmo das crianças de hoje. No conto, para fugir da velha a jogam no forno quente para que morra.

by ORTS
Pera aí. Mas crianças não fariam isso não é? Assim como mães não abandonariam seus filhos. Só as má (drastas). Ou como velhinhas não prenderiam crianças em uma gaiola para  comê-las. Só as bruxas.
by NinjaASSN
Quem é a bruxa do mundo atual? A mãe/drasta? A casa de doces ou o caminho de pedras/pães?
Ao ler o livro pensei sobre o "O vilarejo" (Resenha), em como de certa forma encontramos um conflito bem parecido com "João e Maria", miséria extrema, fome, medo, melancolia. E das atitudes que alguém pode (ou não) tomar nesses momentos. 

Gaiman em um vídeo explica sobre a escolha deste conto em especial. Sobre como foi ao ter contato com o conto original que passou a olhar ele e aos outros como nunca tinha antes: Como comida em potencial.

Vamos pensar e discutir. Vamos concordar e discordar. Só falemos mais sobre aquilo que está ao nosso redor e nós não vemos ou não queremos ver.

O vídeo citado na resenha:



Sobre o autor:

Neil Gaiman nasceu em 1960, na cidade de Portchester, Inglaterra. Desde pequeno, demonstrou sua ligação com os quadrinhos. Seu trabalho mais conhecido é "Sandman", que o imortalizou entre os fãs de HQs. Por 75 números, Gaiman e "Sandman" foram se tornando cada vez mais famosos. A série tornou-se o carro-chefe do selo Vertigo, destinado a um público geralmente adulto que não queria mais saber de super-heróis. O autor ganhou reconhecimento da crítica ao receber prêmios ao redor do mundo, entre eles o prestigiado World Fantasy Award, geralmente concedidos apenas a obras em prosa.

Sobre a edição:


João e Maria foi publicado pela editora "Instrínseca". Em uma edição capa dura (estilo HQ). Eu adorei a capa (com uma das ilustrações como a capa americana), adoro livro preto! A minha decepção foi mesmo com as folhas. Eu acho que se fosse aquele material de HQ teria ficado mais legal. Assim como também daria pra ver melhor as ilustrações. As folhas era grossas (parece cartolina) e algumas coisas ficou com cara de xerox. Não curti isso. Mas de resto, eu amei.

Nota no Skoob


xX Beijos Xx


Deixe um comentário

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Resenha: João e Maria - Neil Gaiman

João e Maria
Autor: Neil Gaiman
Ano: 2015
Páginas: 56
Editora: Intrínseca
Sinopse: O prestigiado escritor Neil Gaiman e o brilhante ilustrador Lorenzo Mattotti se encontram para recontar o clássico João e Maria. Familiar como um sonho e perturbador como um pesadelo, o conto narra a saga de dois irmãos que, em tempos de crise e falta de esperança, são abandonados pelos próprios pais e precisam enfrentar com coragem os perigos de uma floresta sombria. Em um texto poético, Gaiman revive a tradição dos contos de fada, dando profundidade à aventura dos irmãos, mas sem abandonar a autenticidade e o talento único de mesclar realismo e fantasia que o transformaram em um dos maiores autores de sua geração. Mattotti, por sua vez, dá um ar inteiramente novo ao clássico. Seus traços criam um jogo de luz e sombra, permitindo que o leitor desvende aos poucos a imagem, assim como os segredos da história de João e Maria.

O que achei:

"João e Maria" é uma parceria entre Neil Gaiman e Lorenzo Mattotti. Encontramos aqui o conto original dos irmãos Grimm, ilustrado e contado do jeitinho do Neil.

A história é sobre um casal com dois filhos em um tempo difícil em que a comida é escassa. A mãe passa então a persuadir o marido para que ele deixe os filhos na floresta, pois assim só seriam os dois a morrer de fome.

Na primeira tentativa, as crianças voltam para casa (seguindo o caminho das pedrinhas brancas), mas na segunda não. João, acreditando que o pai não faria uma nova tentativa, não tinha nada para marcar o caminho. A não ser um pão que a mãe deu antes que eles fossem. Só que os pães deixados no caminho são comidos e eles se veem assim em meio a floresta. Até que acham uma cara coberta de doces de uma bizarra velhinha.

by Evalds Dajevskis
Muitos questionaram sobre a necessidade de um relançamento do conto original. Conto original porque no conteúdo de Neil Gaiman pouco tem de diferente do publicado pelos irmãos Grimm.

Porem, acredito que é mais que isso o possível intuito do reconto. Fazendo um paralelo com a modernidade, o que nós somos capazes de fazer em uma situação extrema?.

Precisamos discutir o que estamos virando. Ou melhor, o que o ambiente, as situações que vivemos podem nos afetar (ou não). Vemos notícias nos jornais, na TV, na internet. Os conflitos mundiais com atitudes extremas. E, infelizmente, fora postagens no facebook "team" país X/país Y não vejo discussões sobre o comportamento humano.

Sobre pais e mães tendo que fazer o mesmo que os pais de João e Maria. Ou das casas de doces que seduzem como um oásis em meio ao caos. Ou até mesmo das crianças de hoje. No conto, para fugir da velha a jogam no forno quente para que morra.

by ORTS
Pera aí. Mas crianças não fariam isso não é? Assim como mães não abandonariam seus filhos. Só as má (drastas). Ou como velhinhas não prenderiam crianças em uma gaiola para  comê-las. Só as bruxas.
by NinjaASSN
Quem é a bruxa do mundo atual? A mãe/drasta? A casa de doces ou o caminho de pedras/pães?
Ao ler o livro pensei sobre o "O vilarejo" (Resenha), em como de certa forma encontramos um conflito bem parecido com "João e Maria", miséria extrema, fome, medo, melancolia. E das atitudes que alguém pode (ou não) tomar nesses momentos. 

Gaiman em um vídeo explica sobre a escolha deste conto em especial. Sobre como foi ao ter contato com o conto original que passou a olhar ele e aos outros como nunca tinha antes: Como comida em potencial.

Vamos pensar e discutir. Vamos concordar e discordar. Só falemos mais sobre aquilo que está ao nosso redor e nós não vemos ou não queremos ver.

O vídeo citado na resenha:



Sobre o autor:

Neil Gaiman nasceu em 1960, na cidade de Portchester, Inglaterra. Desde pequeno, demonstrou sua ligação com os quadrinhos. Seu trabalho mais conhecido é "Sandman", que o imortalizou entre os fãs de HQs. Por 75 números, Gaiman e "Sandman" foram se tornando cada vez mais famosos. A série tornou-se o carro-chefe do selo Vertigo, destinado a um público geralmente adulto que não queria mais saber de super-heróis. O autor ganhou reconhecimento da crítica ao receber prêmios ao redor do mundo, entre eles o prestigiado World Fantasy Award, geralmente concedidos apenas a obras em prosa.

Sobre a edição:


João e Maria foi publicado pela editora "Instrínseca". Em uma edição capa dura (estilo HQ). Eu adorei a capa (com uma das ilustrações como a capa americana), adoro livro preto! A minha decepção foi mesmo com as folhas. Eu acho que se fosse aquele material de HQ teria ficado mais legal. Assim como também daria pra ver melhor as ilustrações. As folhas era grossas (parece cartolina) e algumas coisas ficou com cara de xerox. Não curti isso. Mas de resto, eu amei.

Nota no Skoob


xX Beijos Xx