Tensão
Autor: Gail McHugh 
Ano: 2015 
Páginas: 336
Editora: Arqueiro
Sinopse: Após a morte da mãe, a vida de Emily Cooper vira de cabeça para baixo. Ela precisa de um novo começo, e Dillon Parker, seu namorado, a convence a se mudar para mais perto dele a fim de passarem mais tempo juntos. Em Nova York, Emily arranja um emprego temporário como garçonete em um restaurante no centro de Manhattan. Ao sair para fazer uma entrega logo no primeiro dia de trabalho, ela esbarra em Gavin Blake, um empresário sexy e bem-sucedido. Assim que seus olhares se encontram, há uma tensão no ar, mas nenhum dos dois consegue entender ou explicar essa forte conexão. Atormentada, Emily tenta não pensar muito naquele desconhecido que mexeu tanto com ela. Porém, ela descobre que Dillon e Gavin são amigos e que terá de conviver com ele muito mais do que poderia ter imaginado. Perdida em sentimentos confusos, Emily sente o desejo por Gavin crescer e se tornar mais ardente a cada vez que se encontram. Será que os dois vão resistir à tensão ou se entregar a essa paixão, apesar de todas as consequências?

O que achei:
O livro conta a história de Emily. Que acaba de perder a mãe. Querendo um novo começo ela se muda para próximo do namorado Dillon em NY.
Ela logo consegue um emprego como garçonete e ao fazer uma entrega ela se esbarra com um misteriosos homem e já ali acontece uma louca ligação (rs). A partir daí ela não consegue parar de pensar naquele desconhecido (que ela mal viu e já considera pakas). Até que um dia ela sai com o namorado e conhece um amigo dele. Eis que: ele era o sexy do elevador! É a partir daí que ambos devem (ou não) lutar contra essa "tensão" entre eles. Até quando eles irão conseguir?


Dillon já percebe que o amigo ficou interessado na namorado e já deixa claro que ela lhe pertence (sim. Um objeto mesmo). E com o passar do tempo tudo fica ainda pior. Dillon fica mais e mais obcecado em Emily e ela não sabe como sair dessa teia que Dillon a enrola. (Apesar de não saber até QUE ponto ela queria sair). Eu entendo o que a autora quis abordar com a personalidade da protagonista. A questão de ter um namorado narcisista, ciumento e dominador. Da "gratidão" por ele ter ficado do seu lado, do fato da mãe no leito de morte ter dito para ela ficar com ele (e ele se aproveita disso) e tantos outros "porquês". Inclusive a autora acaba explicando nos agradecimentos do livro ao narrar sobre a "Emily" da vida real que vivia um relacionamento abusivo e tal.. E que isso era um alerta. Será mesmo?
Caiu no clichê do velho: Nada como um amor novo para superar o antigo.

Mas oh. Não me convenceu. Talvez teria sido sim uma boa ideia. Mas acredito que sem TANTAS cenas de sexo (bem descritivas) e inclusive na maioria das vezes com o "vilão" da historia, o qual pela descrição ela parece estar apreciando (e muito) o momento. Fizeram com que o foco se perdesse. Não consegui sentir a ligação do casal. Vi sim que eles queriam transar. Isso ficou claro, mas eu confesso que me assustei quando saiu "eu te amo" "ah eu te amo também não consigo viver sem você". OI?


Não senti que ela trabalhou as emoções. Uma hora a protagonista estava transando loucamente no chuveiro com o namorado e depois amava (e muito) o amigo dele.
Ah. E ele também amava ela. Mesmo estando todo tempo com a amante da semana. Os dois diziam querer largar tudo para "viver esse amor", mas ninguém tentava. Nem um deixava de viver a sua vida romantica/sexual pelo outro. "Ah você tem namorado então eu vou pegar umas piriguetes por aí". Gente...

Não sei. Não rolou. Eu não tenho preconceito literário com nem um tipo de gênero, mas acredito que a autora se perdeu em muito sexo e esqueceu de abordar o tema que ela jogou no início. Cadê o alerta? Sim, ela está vivendo um relacionamento abusivo e? A saída é sair com o amigo dele?


Tensão não é um livro ruim. Tudo passa bem rápido (tanto que eu li em um dia) e talvez seja um livro para se ler em ressaca literária ou quando você quer ler um livro que não vá exigir tanta atenção.

Este é o primeiro volume de uma duologia. Que continua em "Pulsação". Não é surpresa eu dizer que não continuarei, até porque logo perto do fim eu adivinhei qual seria o plot do segundo (e a minha amiga confirmou) e é... Prefiro ver o filme do Pelé.


Mas para quem curte, vi algumas pessoas que gostaram. Se alguém ler me diz o que achou! Vamos debater ;)

Sobre a edição:

Edição bem bonita, gostei do moço da capa e amo a combinação de branco com vinho. Adorei o fato de ser sexy e não PORNOGRÁFICA como algumas capas por aí. Hahaahh

Nota no Skoob




xX Beijos Xx


Deixe um comentário

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Resenha: Tensão - Gail McHugh

Tensão
Autor: Gail McHugh 
Ano: 2015 
Páginas: 336
Editora: Arqueiro
Sinopse: Após a morte da mãe, a vida de Emily Cooper vira de cabeça para baixo. Ela precisa de um novo começo, e Dillon Parker, seu namorado, a convence a se mudar para mais perto dele a fim de passarem mais tempo juntos. Em Nova York, Emily arranja um emprego temporário como garçonete em um restaurante no centro de Manhattan. Ao sair para fazer uma entrega logo no primeiro dia de trabalho, ela esbarra em Gavin Blake, um empresário sexy e bem-sucedido. Assim que seus olhares se encontram, há uma tensão no ar, mas nenhum dos dois consegue entender ou explicar essa forte conexão. Atormentada, Emily tenta não pensar muito naquele desconhecido que mexeu tanto com ela. Porém, ela descobre que Dillon e Gavin são amigos e que terá de conviver com ele muito mais do que poderia ter imaginado. Perdida em sentimentos confusos, Emily sente o desejo por Gavin crescer e se tornar mais ardente a cada vez que se encontram. Será que os dois vão resistir à tensão ou se entregar a essa paixão, apesar de todas as consequências?

O que achei:
O livro conta a história de Emily. Que acaba de perder a mãe. Querendo um novo começo ela se muda para próximo do namorado Dillon em NY.
Ela logo consegue um emprego como garçonete e ao fazer uma entrega ela se esbarra com um misteriosos homem e já ali acontece uma louca ligação (rs). A partir daí ela não consegue parar de pensar naquele desconhecido (que ela mal viu e já considera pakas). Até que um dia ela sai com o namorado e conhece um amigo dele. Eis que: ele era o sexy do elevador! É a partir daí que ambos devem (ou não) lutar contra essa "tensão" entre eles. Até quando eles irão conseguir?


Dillon já percebe que o amigo ficou interessado na namorado e já deixa claro que ela lhe pertence (sim. Um objeto mesmo). E com o passar do tempo tudo fica ainda pior. Dillon fica mais e mais obcecado em Emily e ela não sabe como sair dessa teia que Dillon a enrola. (Apesar de não saber até QUE ponto ela queria sair). Eu entendo o que a autora quis abordar com a personalidade da protagonista. A questão de ter um namorado narcisista, ciumento e dominador. Da "gratidão" por ele ter ficado do seu lado, do fato da mãe no leito de morte ter dito para ela ficar com ele (e ele se aproveita disso) e tantos outros "porquês". Inclusive a autora acaba explicando nos agradecimentos do livro ao narrar sobre a "Emily" da vida real que vivia um relacionamento abusivo e tal.. E que isso era um alerta. Será mesmo?
Caiu no clichê do velho: Nada como um amor novo para superar o antigo.

Mas oh. Não me convenceu. Talvez teria sido sim uma boa ideia. Mas acredito que sem TANTAS cenas de sexo (bem descritivas) e inclusive na maioria das vezes com o "vilão" da historia, o qual pela descrição ela parece estar apreciando (e muito) o momento. Fizeram com que o foco se perdesse. Não consegui sentir a ligação do casal. Vi sim que eles queriam transar. Isso ficou claro, mas eu confesso que me assustei quando saiu "eu te amo" "ah eu te amo também não consigo viver sem você". OI?


Não senti que ela trabalhou as emoções. Uma hora a protagonista estava transando loucamente no chuveiro com o namorado e depois amava (e muito) o amigo dele.
Ah. E ele também amava ela. Mesmo estando todo tempo com a amante da semana. Os dois diziam querer largar tudo para "viver esse amor", mas ninguém tentava. Nem um deixava de viver a sua vida romantica/sexual pelo outro. "Ah você tem namorado então eu vou pegar umas piriguetes por aí". Gente...

Não sei. Não rolou. Eu não tenho preconceito literário com nem um tipo de gênero, mas acredito que a autora se perdeu em muito sexo e esqueceu de abordar o tema que ela jogou no início. Cadê o alerta? Sim, ela está vivendo um relacionamento abusivo e? A saída é sair com o amigo dele?


Tensão não é um livro ruim. Tudo passa bem rápido (tanto que eu li em um dia) e talvez seja um livro para se ler em ressaca literária ou quando você quer ler um livro que não vá exigir tanta atenção.

Este é o primeiro volume de uma duologia. Que continua em "Pulsação". Não é surpresa eu dizer que não continuarei, até porque logo perto do fim eu adivinhei qual seria o plot do segundo (e a minha amiga confirmou) e é... Prefiro ver o filme do Pelé.


Mas para quem curte, vi algumas pessoas que gostaram. Se alguém ler me diz o que achou! Vamos debater ;)

Sobre a edição:

Edição bem bonita, gostei do moço da capa e amo a combinação de branco com vinho. Adorei o fato de ser sexy e não PORNOGRÁFICA como algumas capas por aí. Hahaahh

Nota no Skoob




xX Beijos Xx