O Príncipe dos Canalhas
Autor: Loretta Chase
Ano: 2015
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Sinopse: Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent. Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu. Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho. Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.



O que achei:



"No meu dicionário, romance não é um sentimento piegas e pegajoso. É algo picante, temperado com entusiasmo e uma boa dose de cinismo"

Leitura finalizada do clube de leitura com as minhas amigas blogueiras aqui do Amapá. E o livro escolhido foi "O príncipe dos canalhas" da autora Loretta Chase. O livro tem uma proposta de ser uma releitura de "A Bela e a Fera". Narrado em terceira pessoa, conta a história de Sebastian Ballister, o marquês de Dain ou o "Lord Belzebu", e Jessica Trent, a megera. 


“Seu herdeiro era uma coisa verde e enrugada com grandes olhos negros, braços e pernas desproporcionais e um nariz grosseiro e exagerado. E chorava a plenos pulmões, sem parar.” 


#1 da Serie Canalhas, é um livro bem delicinha de se ler. Você deita, pega ele e sente a história te levar com momentos engraçados e aquele velho amorzinho entre tapas e beijos que eu adoro. Porém, a sensação que tive ao finalizar o livro foi de "me enganei pela capa". A arte da editora Arqueiro ficou linda! Mas me remeteu a um livro fofinho de romance de época e acabou que eu achei a história próxima aos romances de banca que tanto amo. Uma pegada mais sexy. Na verdade, vendo pela capa original do livro em que um casal está entrelaçado acredito que ela acabou combinado mais com a história Rosto com lágrimas de alegria não que o livro não seja fofo, é sim! E engraçado (a cena dela adormecendo é demais!) o que eu acho muito importante, apesar de algumas cenas que me incomodaram (como a sensação de "isso não seria dessa época". Minha culpa por ser neurótica por detalhes Rosto sorridente com boca aberta e suor frio). O casal é carismático e eu gostei de como a mocinha é a frente do seu tempo. Não se deixa levar fácil e é osso duro de roer. Já o mocinho, é amargurado pelas situações que passou desde a infância por conta da sua aparência e a falta de carinho dos pais o que fez com que ele acabasse esperando o pior das pessoas. Mas, Jess o vê diferente de como os outros (e ele mesmo) o vêem (Como a criatura demoníaca que causa náusea e agonia). Ela o vê "imponente e másculo" (com direito a encarada estilo raio x nos "dotes" do moço) Rosto com lágrimas de alegria


   "Você me fez desejá-lá. Você fez com que eu me sentisse solitário, apaixonado. Você me fez desejar o que eu jurei que nunca precisaria, que nunca procuraria."

Apesar de ter esperado mais fofura (culpa da capa) e menos cenas picantes (não que isso seja ruim), recomendo a leitura p/ aqueles momentos de relaxamento. Ah! E amei as referências a Lord Byron! Um dos meus poetas favoritos da adolescência! Rosto sorridente com olhos em forma de coração
Lerei os outros da serie com certeza!


Nota no Skoob (3,5)


Deixe um comentário

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Resenha: O Príncipe dos Canalhas - Loretta Chase

O Príncipe dos Canalhas
Autor: Loretta Chase
Ano: 2015
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Sinopse: Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent. Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu. Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho. Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.



O que achei:



"No meu dicionário, romance não é um sentimento piegas e pegajoso. É algo picante, temperado com entusiasmo e uma boa dose de cinismo"

Leitura finalizada do clube de leitura com as minhas amigas blogueiras aqui do Amapá. E o livro escolhido foi "O príncipe dos canalhas" da autora Loretta Chase. O livro tem uma proposta de ser uma releitura de "A Bela e a Fera". Narrado em terceira pessoa, conta a história de Sebastian Ballister, o marquês de Dain ou o "Lord Belzebu", e Jessica Trent, a megera. 


“Seu herdeiro era uma coisa verde e enrugada com grandes olhos negros, braços e pernas desproporcionais e um nariz grosseiro e exagerado. E chorava a plenos pulmões, sem parar.” 


#1 da Serie Canalhas, é um livro bem delicinha de se ler. Você deita, pega ele e sente a história te levar com momentos engraçados e aquele velho amorzinho entre tapas e beijos que eu adoro. Porém, a sensação que tive ao finalizar o livro foi de "me enganei pela capa". A arte da editora Arqueiro ficou linda! Mas me remeteu a um livro fofinho de romance de época e acabou que eu achei a história próxima aos romances de banca que tanto amo. Uma pegada mais sexy. Na verdade, vendo pela capa original do livro em que um casal está entrelaçado acredito que ela acabou combinado mais com a história Rosto com lágrimas de alegria não que o livro não seja fofo, é sim! E engraçado (a cena dela adormecendo é demais!) o que eu acho muito importante, apesar de algumas cenas que me incomodaram (como a sensação de "isso não seria dessa época". Minha culpa por ser neurótica por detalhes Rosto sorridente com boca aberta e suor frio). O casal é carismático e eu gostei de como a mocinha é a frente do seu tempo. Não se deixa levar fácil e é osso duro de roer. Já o mocinho, é amargurado pelas situações que passou desde a infância por conta da sua aparência e a falta de carinho dos pais o que fez com que ele acabasse esperando o pior das pessoas. Mas, Jess o vê diferente de como os outros (e ele mesmo) o vêem (Como a criatura demoníaca que causa náusea e agonia). Ela o vê "imponente e másculo" (com direito a encarada estilo raio x nos "dotes" do moço) Rosto com lágrimas de alegria


   "Você me fez desejá-lá. Você fez com que eu me sentisse solitário, apaixonado. Você me fez desejar o que eu jurei que nunca precisaria, que nunca procuraria."

Apesar de ter esperado mais fofura (culpa da capa) e menos cenas picantes (não que isso seja ruim), recomendo a leitura p/ aqueles momentos de relaxamento. Ah! E amei as referências a Lord Byron! Um dos meus poetas favoritos da adolescência! Rosto sorridente com olhos em forma de coração
Lerei os outros da serie com certeza!


Nota no Skoob (3,5)