Métrica (Slammed # 1)
Autor: Colleen Hoover
Ano: 2013 
Páginas: 304
Editora: Galera Record
Sinopse: Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor. 


O que achei:


 "— Toda mulher deve ser capaz de responder três perguntas antes de se comprometer com um homem. Se disser "não" a qualquer uma das três, saia correndo.
(...)

– Ele a trata com respeito o tempo inteiro? Essa é a primeira pergunta. A segunda é: se, daqui a vinte anos, ele fosse exatamente a mesma pessoa que é hoje, você ainda se casaria com ele? E, finalmente, ele faz com que você queria ser uma pessoa melhor? Se conseguir responder "sim" às três em relação a uma pessoa, então encontrou um homem decente"

O livro conta a história de Layken, uma menina do Texas, que após perder o pai tem a sua vida transformada. Sua família (mãe e o irmão caçula) começam a passar por algumas dificuldades e ela é obrigada a se mudar para Michigan. Lake a principio odeia a ideia e não a aceita bem ao princípio. Mas tudo muda quando conhece o seu vizinho Will, um jovem de 21 anos que também tem um irmão caçula e além de lindo é um fofo. Logo eles se envolvem, paqueram, ele no primeiro encontro a leva em um lugar de "Slam" que seria poesias que são recitadas no palco, com uma luz sobre a pessoa e ditas com fervor em certos pontos. Daquela forma bem emocionante e intensa. Lake acha que Will é perfeito e que poderia sim ser feliz na nova cidade. Até que... No seu primeiro dia de aula tem uma grande surpresa ao encontrar Will ali e descobrir que o destino os uniu, mas não como ela gostaria.


“Na poesia dos dois, talvez a estrofe perfeita seja solitária e ímpar. E amor rime com dor.”

Confesso que o amor arrebatador deles (apesar deles serem um casal fofo/com química) não me convenceu de início. Eu sou um pouco cética com "instalove" (amor que acontece de repente) e o fato deles serem tão intensos, sendo que trocaram UM beijo só até quase metade do livro, me deixou um pouco "ãn como assim ele/ela faria isso por ele/ela" lá pelo meio eu pensei "mas aí não vai acontecer nada? Vai ficar nisso?" hahaha Que chata ne? Eu sei. Mas fazia tempo que eu não lia um livro tão cheio de SENTIMENTO. Tão cheio de sensações e emoções. Mesmo não acontecendo nada de grande. Porém, na medida em que as páginas voavam eu pude sentir que métrica não era sobre Will e Lake. Métrica essa sobre sentimentoS, sobre vidas, sobre segredos, sobre perdas, sobre mentiras, sobre dor, sobre sentir falta e sobre amor. O verdadeiro amor. Amor além da pele, além do carnal, além do homem e mulher. O real significado do amor. 




"Nãos é só as mentiras que a música está se referindo. É à vida. Não dá para fugir para outra cidade, outro lugar, outro estado. A coisa de que a pessoa está fugindo, seja ela qual for, vai junto com ela. E fica com ela até a pessoa descobrir uma maneira de confrontá-la."

Isso é uma grande qualidade da escrita da autora. É difícil passar sentimento em forma de palavras de forma tão intensa mesmo não relatando grandes acontecimentos. É fácil "entrar" no livro. É fácil se imaginar como um deles mesmo no início ter achado um pouco demais. Talvez seja erro MEU. Por estar tão acostumada com livros que precisam de ação para explorar algo maior. Métrica é um livro bem gostoso de ler. A leitura é bem fluida e quando você percebe já leu um monte (eu mesmo li o livro em um dia!). A Colleen coloca um leve ar cômico nos seus diálogos o que é muito bom para aliviar a narrativa. É cheio de trechos de músicas e as belas letras dos "Slam" (poemas). Muito fofinho. Infelizmente não tive como ler "com trilha sonora" escutando a banda preferida do casal: The Avett Brothers porque li no meu trabalho. Só o finalzinho que li escutando a faixa "Morning Song" (que é uma fofura! Folk e Indie são os melhores estilos da vida). Mas estou baixando agora mesmo as músicas deles para escutar e lembrar da história! ♥ E que coisa maravilhosa eram as partes do Kel e do Caulder!!! Overdose de fofura! Pensando bem agora não tem nem um personagem que eu não tenha gostado. Adorei todos e de como cada um teve o seu momento de "brilho" e sua importância na trama. 




Acredito que o fato de eu ter esperado o grande "frenesi" em cima desse livro ter passado para poder ler me ajudou a aproveitá-lo melhor. Não esperar tanto e mergulhar melhor na história. Apesar de que ainda não sinto vontade de ler os outros livros da série "Slammed" (eu falo série porque eu não lembro bem agora quantos livros são haha) porque eu acho que Métrica falou por si. Bastou. Uma leitura especial que eu prefiro não correr o risco de estragar a boa lembrança com outros volumes. Ah! A não ser por Eddie! Que personagem massa!! Se tiver algum livro dela, vou ler na hora haha. A maioria dos comentários que escutei sobre o livro sempre foi sobre como ele tem o poder de arrancar todas as lágrimas que você tem. Comigo não foi bem assim. Eu lagrimei apenas uma vez e nada teve com a Lake, Will ou com a família deles e sim com uma cena LINDA envolvendo a Eddie. Que personagem ♥ Mas não ter me tirado todas as lágrimas de forma alguma diminui o brilho desta obra maravilhosa. Entrou para os meus favoritos. Fofura!


"Tum Tum
Tum Tum
Tum Tum
Está escutando isso?
É o som do seu coração batendo."

Sobre a autora


Colleen Hoover nasceu 11 de dezembro de 1979, em Sulphur Springs, Texas. Ela cresceu em Saltillo, Texas, e formou-se a partir de Saltillo High School, em 1998. Em 2000, ela se casou com Heath Hoover, com quem ela já tem três filhos e um porco chamado Sailor. Hoover formou na Texas a & M-Commerce com uma licenciatura em Serviço Social. Ela trabalhou vários trabalhos de ação social e de ensino, até que ela começou sua carreira como escritora. Em novembro de 2011, Colleen começou a escrever seu primeiro romance, sem nenhuma intenção de ser publicado. Ela foi inspirada por um poema lírico, "decidir o que ser e ir ser isso", a partir de uma canção Avett Brothers "Cabeça cheia de dúvidas / estrada cheia de promessas". Devido a isso, ela incorporou letras Avett Brothers em toda a história. Depois de alguns meses, seu romance foi revisado e dado 5 estrelas por grande blogger de livros, Maryse Preto. Com isso, as vendas aumentaram rapidamente, e por insistência dos fãs, teve sua sequela, Pointo de Retreat, ambos na lista New York Times Best Seller.



Sobre a edição: Eu amei essa edição de Métrica. O livro é menorzinho o que deixa ele com ar de livro "grosso", mas não é. As folhas são amareladas, a diagramação é ótima. Bom espaçamento, letras grandes e fonte confortável. Não tem grandes trabalhos de detalhes, mas achei que combinou com o ar singelo da história. Achei ótima! 


Nas telinhas: Lorenzo di Bonaventura adquiriu os direitos de Métrica e um caso perdido (outra série da autora) em 2013/2014. Porém eu nunca ouvi qualquer noticia sobre estar pré-produção e nem nada. Pelo visto vai ser mais um desses livros que tem os direitos comprados e vai pra geladeira. Odeio quando isso acontece!




Nota no Skoob

É isso.

Alguém já leu? 


XX Beijos XX


Deixe um comentário

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Resenha: Métrica - Colleen Hoover

Métrica (Slammed # 1)
Autor: Colleen Hoover
Ano: 2013 
Páginas: 304
Editora: Galera Record
Sinopse: Após a perda inesperada do pai, Layken, de 18 anos, é obrigada a ser o suporte tanto da mãe quanto do irmão mais novo. Por fora, ela parece resiliente e tenaz; por dentro, entretanto, está perdendo as esperanças. Um rapaz transforma tudo isso: o vizinho de 21 anos, que se identifica com a realidade de Layken e parece entendê-la como ninguém. A atração entre os dois é inevitável, mas talvez o destino não esteja pronto para aceitar esse amor. 


O que achei:


 "— Toda mulher deve ser capaz de responder três perguntas antes de se comprometer com um homem. Se disser "não" a qualquer uma das três, saia correndo.
(...)

– Ele a trata com respeito o tempo inteiro? Essa é a primeira pergunta. A segunda é: se, daqui a vinte anos, ele fosse exatamente a mesma pessoa que é hoje, você ainda se casaria com ele? E, finalmente, ele faz com que você queria ser uma pessoa melhor? Se conseguir responder "sim" às três em relação a uma pessoa, então encontrou um homem decente"

O livro conta a história de Layken, uma menina do Texas, que após perder o pai tem a sua vida transformada. Sua família (mãe e o irmão caçula) começam a passar por algumas dificuldades e ela é obrigada a se mudar para Michigan. Lake a principio odeia a ideia e não a aceita bem ao princípio. Mas tudo muda quando conhece o seu vizinho Will, um jovem de 21 anos que também tem um irmão caçula e além de lindo é um fofo. Logo eles se envolvem, paqueram, ele no primeiro encontro a leva em um lugar de "Slam" que seria poesias que são recitadas no palco, com uma luz sobre a pessoa e ditas com fervor em certos pontos. Daquela forma bem emocionante e intensa. Lake acha que Will é perfeito e que poderia sim ser feliz na nova cidade. Até que... No seu primeiro dia de aula tem uma grande surpresa ao encontrar Will ali e descobrir que o destino os uniu, mas não como ela gostaria.


“Na poesia dos dois, talvez a estrofe perfeita seja solitária e ímpar. E amor rime com dor.”

Confesso que o amor arrebatador deles (apesar deles serem um casal fofo/com química) não me convenceu de início. Eu sou um pouco cética com "instalove" (amor que acontece de repente) e o fato deles serem tão intensos, sendo que trocaram UM beijo só até quase metade do livro, me deixou um pouco "ãn como assim ele/ela faria isso por ele/ela" lá pelo meio eu pensei "mas aí não vai acontecer nada? Vai ficar nisso?" hahaha Que chata ne? Eu sei. Mas fazia tempo que eu não lia um livro tão cheio de SENTIMENTO. Tão cheio de sensações e emoções. Mesmo não acontecendo nada de grande. Porém, na medida em que as páginas voavam eu pude sentir que métrica não era sobre Will e Lake. Métrica essa sobre sentimentoS, sobre vidas, sobre segredos, sobre perdas, sobre mentiras, sobre dor, sobre sentir falta e sobre amor. O verdadeiro amor. Amor além da pele, além do carnal, além do homem e mulher. O real significado do amor. 




"Nãos é só as mentiras que a música está se referindo. É à vida. Não dá para fugir para outra cidade, outro lugar, outro estado. A coisa de que a pessoa está fugindo, seja ela qual for, vai junto com ela. E fica com ela até a pessoa descobrir uma maneira de confrontá-la."

Isso é uma grande qualidade da escrita da autora. É difícil passar sentimento em forma de palavras de forma tão intensa mesmo não relatando grandes acontecimentos. É fácil "entrar" no livro. É fácil se imaginar como um deles mesmo no início ter achado um pouco demais. Talvez seja erro MEU. Por estar tão acostumada com livros que precisam de ação para explorar algo maior. Métrica é um livro bem gostoso de ler. A leitura é bem fluida e quando você percebe já leu um monte (eu mesmo li o livro em um dia!). A Colleen coloca um leve ar cômico nos seus diálogos o que é muito bom para aliviar a narrativa. É cheio de trechos de músicas e as belas letras dos "Slam" (poemas). Muito fofinho. Infelizmente não tive como ler "com trilha sonora" escutando a banda preferida do casal: The Avett Brothers porque li no meu trabalho. Só o finalzinho que li escutando a faixa "Morning Song" (que é uma fofura! Folk e Indie são os melhores estilos da vida). Mas estou baixando agora mesmo as músicas deles para escutar e lembrar da história! ♥ E que coisa maravilhosa eram as partes do Kel e do Caulder!!! Overdose de fofura! Pensando bem agora não tem nem um personagem que eu não tenha gostado. Adorei todos e de como cada um teve o seu momento de "brilho" e sua importância na trama. 




Acredito que o fato de eu ter esperado o grande "frenesi" em cima desse livro ter passado para poder ler me ajudou a aproveitá-lo melhor. Não esperar tanto e mergulhar melhor na história. Apesar de que ainda não sinto vontade de ler os outros livros da série "Slammed" (eu falo série porque eu não lembro bem agora quantos livros são haha) porque eu acho que Métrica falou por si. Bastou. Uma leitura especial que eu prefiro não correr o risco de estragar a boa lembrança com outros volumes. Ah! A não ser por Eddie! Que personagem massa!! Se tiver algum livro dela, vou ler na hora haha. A maioria dos comentários que escutei sobre o livro sempre foi sobre como ele tem o poder de arrancar todas as lágrimas que você tem. Comigo não foi bem assim. Eu lagrimei apenas uma vez e nada teve com a Lake, Will ou com a família deles e sim com uma cena LINDA envolvendo a Eddie. Que personagem ♥ Mas não ter me tirado todas as lágrimas de forma alguma diminui o brilho desta obra maravilhosa. Entrou para os meus favoritos. Fofura!


"Tum Tum
Tum Tum
Tum Tum
Está escutando isso?
É o som do seu coração batendo."

Sobre a autora


Colleen Hoover nasceu 11 de dezembro de 1979, em Sulphur Springs, Texas. Ela cresceu em Saltillo, Texas, e formou-se a partir de Saltillo High School, em 1998. Em 2000, ela se casou com Heath Hoover, com quem ela já tem três filhos e um porco chamado Sailor. Hoover formou na Texas a & M-Commerce com uma licenciatura em Serviço Social. Ela trabalhou vários trabalhos de ação social e de ensino, até que ela começou sua carreira como escritora. Em novembro de 2011, Colleen começou a escrever seu primeiro romance, sem nenhuma intenção de ser publicado. Ela foi inspirada por um poema lírico, "decidir o que ser e ir ser isso", a partir de uma canção Avett Brothers "Cabeça cheia de dúvidas / estrada cheia de promessas". Devido a isso, ela incorporou letras Avett Brothers em toda a história. Depois de alguns meses, seu romance foi revisado e dado 5 estrelas por grande blogger de livros, Maryse Preto. Com isso, as vendas aumentaram rapidamente, e por insistência dos fãs, teve sua sequela, Pointo de Retreat, ambos na lista New York Times Best Seller.



Sobre a edição: Eu amei essa edição de Métrica. O livro é menorzinho o que deixa ele com ar de livro "grosso", mas não é. As folhas são amareladas, a diagramação é ótima. Bom espaçamento, letras grandes e fonte confortável. Não tem grandes trabalhos de detalhes, mas achei que combinou com o ar singelo da história. Achei ótima! 


Nas telinhas: Lorenzo di Bonaventura adquiriu os direitos de Métrica e um caso perdido (outra série da autora) em 2013/2014. Porém eu nunca ouvi qualquer noticia sobre estar pré-produção e nem nada. Pelo visto vai ser mais um desses livros que tem os direitos comprados e vai pra geladeira. Odeio quando isso acontece!




Nota no Skoob

É isso.

Alguém já leu? 


XX Beijos XX