O Livro das Coisas Perdidas
Autor: John Connolly
Ano: 2012
Páginas: 364
Editora: Bertrand Brasil
Sinopse: Após a morte da mãe, David, de 12 anos, passa a maior parte do tempo em seu quarto tendo com os livros como companhia. Quando eles começam a sussurrar para o menino, realidade e imaginação se misturam até que, ao brincar no jardim, entra em um reino encantado, onde encontrará heróis, monstros e um rei fracassado que guarda seus segredos em um livro misterioso. John Connolly, em O Livro das Coisas Perdidas, desconstruirá fábulas conhecidas, como A Branca de Neve e os Sete Anões e João e Maria, por meio de muita imaginação e mistério. 




"Era uma vez - pois é assim que todas as histórias deveriam começar - um garoto que perdera a mãe."

O que achei: Gente! Que livro destruidor! Estou tentando juntar os meus caquinhos para resenha ele de forma certinha ♥. O livro conta a história de David, um menino de 12 anos que perde a mãe. A mãe sempre falou sobre o poder dos livros para a vida das pessoas e como eles tem um poder de transformar. O início dele é muito difícil, pelo menos foi muito difícil pra mim, eu sou bem mole com essas temáticas de mães doentes. Ainda mais vendo o ponto de vista de uma criança. As partes em que David falava sobre ser culpa dele a mãe ter a "doença que come por dentro" (o que não era) e de como ele adquiriu uma espécie de TOC em que precisava desenvolver uma seqüência de comportamentos para que a mãe não morresse são de partir o coração. E no dia em que recebe a noticia na escola, David passa a acreditar que de alguma forma foi culpa dele a morte por não ter realizado aqueles comportamentos de forma suficiente o que faz com que ele "mergulhe" em uma melancolia sem fim. O pai o leva ao psiquiatra, mas nada é feito. David passa então a ouvir as vozes vindo dos livros. Como se estivessem conversando. Logo depois o pai se casa novamente com a diretora do hospital que a mãe estava. É para a surpresa de David logo vem um irmaozinho daquela nova relação. Com o tempo a sua relação familiar fica cada vez pior e é então que ele começa ver um vulto de um homem corcunda próximo ao bebê (que quando o pai vai ver o que é, parece ser apenas um pássaro) e a ouvir a voz da mãe o chamando para o jardim para ajudá-la. Um dia ele segue é para se esconder de um som de explosão (o livro se passa na segunda guerra mundial) e ele se esconde em uma brecha no muro da casa. É então que ele desmaia e quando acorda vê que está outro mundo. Ao encontrar um lenhador que o salva de um ataque de homens lobos (Loups) famintos. Ele diz para eles colocarem um barbante para marcarem a arvore o qual ele saiu e o leva para sua casa para que ele descanse, no outro dia porém, ele vê que todas as árvores estão marcadas com os mesmos barbantes e o lenhador diz que isso deve ter sido obra do pregador de peças, David percebe depois dele lhe contar a história do homem, que aquele era o que viu no quarto do seu irmão. O homem torto.
 Ao se ver sem saída, o lenhador diz que para ele sair daquele lugar, eles devem ir até o rei que possui o "Livro das coisas perdidas" que contem todos os conhecimentos. O resto do livro (não da pra contar se não vai perder a graça ne? Hahaha) podemos ver David nesse caminho até o rei. Sofrendo algumas perdas e também algumas provações. Também encontramos no livro alguns personagens de contos de fadas, como a Branca de Neve (esqueçam TUDO o que vocês sabem sobre ela!!!!), os sete anões e também o João e Maria. Só consigo dizer que esse livro e maravilhoso! Fantasia de primeira. Uma forma inteligente de falar de luto e do poder da fantasia na vida de alguém. Preciso ler outras vezes com certeza! O livro das coisas perdidas não é um livro para crianças, apesar de parecer ser pela sinopse, capa e afins, na verdade eu acredito que é um livro para mim, para você é para todos lerem e discutirem sobre essa temática tão pouco explorada. O livro é obscuro, com umas cenas que dão medinho. Mas nada sem contexto ou sem utilidade apesar das partes digamos.. Fortes e intensas como cenas de indução de sexo e homossexualismo, temas que não se espera encontrar em um livro "para crianças". O autor tem uma das escritas mais lindas que eu já vi. Inteligente, poético, intenso e profundo (já coloquei na lista de desejados todos os livros do autor)! E a sensação que tive ao finalizar o livro foi que EU havia acabado de viver uma grande aventura. Me lembrou por certos pontos "Coraline" e o "Labirinto do Fauno". É com um final tão lindo que umas lágrimas teimosas ameaçaram cair. Ah! Vi uns vídeos no youtube de uma turma do nono ano que precisou ler o livro e resenhar! Queria conhecer essa (e) professora (o) e parabenizar-lo pela idéia genial!!! (palmas) Recomendo para todos! Fora essa edição maravilhosa toda cheia de relevo que com certeza é uma das mais lindas da minha estante. 


Com certeza um livro que merece ser conhecido! 

Nota no skoob

Alguém já leu? Me contem o que acharam!
Beijos!




Deixe um comentário

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Resenha: O Livro das Coisas Perdidas - John Connolly

O Livro das Coisas Perdidas
Autor: John Connolly
Ano: 2012
Páginas: 364
Editora: Bertrand Brasil
Sinopse: Após a morte da mãe, David, de 12 anos, passa a maior parte do tempo em seu quarto tendo com os livros como companhia. Quando eles começam a sussurrar para o menino, realidade e imaginação se misturam até que, ao brincar no jardim, entra em um reino encantado, onde encontrará heróis, monstros e um rei fracassado que guarda seus segredos em um livro misterioso. John Connolly, em O Livro das Coisas Perdidas, desconstruirá fábulas conhecidas, como A Branca de Neve e os Sete Anões e João e Maria, por meio de muita imaginação e mistério. 




"Era uma vez - pois é assim que todas as histórias deveriam começar - um garoto que perdera a mãe."

O que achei: Gente! Que livro destruidor! Estou tentando juntar os meus caquinhos para resenha ele de forma certinha ♥. O livro conta a história de David, um menino de 12 anos que perde a mãe. A mãe sempre falou sobre o poder dos livros para a vida das pessoas e como eles tem um poder de transformar. O início dele é muito difícil, pelo menos foi muito difícil pra mim, eu sou bem mole com essas temáticas de mães doentes. Ainda mais vendo o ponto de vista de uma criança. As partes em que David falava sobre ser culpa dele a mãe ter a "doença que come por dentro" (o que não era) e de como ele adquiriu uma espécie de TOC em que precisava desenvolver uma seqüência de comportamentos para que a mãe não morresse são de partir o coração. E no dia em que recebe a noticia na escola, David passa a acreditar que de alguma forma foi culpa dele a morte por não ter realizado aqueles comportamentos de forma suficiente o que faz com que ele "mergulhe" em uma melancolia sem fim. O pai o leva ao psiquiatra, mas nada é feito. David passa então a ouvir as vozes vindo dos livros. Como se estivessem conversando. Logo depois o pai se casa novamente com a diretora do hospital que a mãe estava. É para a surpresa de David logo vem um irmaozinho daquela nova relação. Com o tempo a sua relação familiar fica cada vez pior e é então que ele começa ver um vulto de um homem corcunda próximo ao bebê (que quando o pai vai ver o que é, parece ser apenas um pássaro) e a ouvir a voz da mãe o chamando para o jardim para ajudá-la. Um dia ele segue é para se esconder de um som de explosão (o livro se passa na segunda guerra mundial) e ele se esconde em uma brecha no muro da casa. É então que ele desmaia e quando acorda vê que está outro mundo. Ao encontrar um lenhador que o salva de um ataque de homens lobos (Loups) famintos. Ele diz para eles colocarem um barbante para marcarem a arvore o qual ele saiu e o leva para sua casa para que ele descanse, no outro dia porém, ele vê que todas as árvores estão marcadas com os mesmos barbantes e o lenhador diz que isso deve ter sido obra do pregador de peças, David percebe depois dele lhe contar a história do homem, que aquele era o que viu no quarto do seu irmão. O homem torto.
 Ao se ver sem saída, o lenhador diz que para ele sair daquele lugar, eles devem ir até o rei que possui o "Livro das coisas perdidas" que contem todos os conhecimentos. O resto do livro (não da pra contar se não vai perder a graça ne? Hahaha) podemos ver David nesse caminho até o rei. Sofrendo algumas perdas e também algumas provações. Também encontramos no livro alguns personagens de contos de fadas, como a Branca de Neve (esqueçam TUDO o que vocês sabem sobre ela!!!!), os sete anões e também o João e Maria. Só consigo dizer que esse livro e maravilhoso! Fantasia de primeira. Uma forma inteligente de falar de luto e do poder da fantasia na vida de alguém. Preciso ler outras vezes com certeza! O livro das coisas perdidas não é um livro para crianças, apesar de parecer ser pela sinopse, capa e afins, na verdade eu acredito que é um livro para mim, para você é para todos lerem e discutirem sobre essa temática tão pouco explorada. O livro é obscuro, com umas cenas que dão medinho. Mas nada sem contexto ou sem utilidade apesar das partes digamos.. Fortes e intensas como cenas de indução de sexo e homossexualismo, temas que não se espera encontrar em um livro "para crianças". O autor tem uma das escritas mais lindas que eu já vi. Inteligente, poético, intenso e profundo (já coloquei na lista de desejados todos os livros do autor)! E a sensação que tive ao finalizar o livro foi que EU havia acabado de viver uma grande aventura. Me lembrou por certos pontos "Coraline" e o "Labirinto do Fauno". É com um final tão lindo que umas lágrimas teimosas ameaçaram cair. Ah! Vi uns vídeos no youtube de uma turma do nono ano que precisou ler o livro e resenhar! Queria conhecer essa (e) professora (o) e parabenizar-lo pela idéia genial!!! (palmas) Recomendo para todos! Fora essa edição maravilhosa toda cheia de relevo que com certeza é uma das mais lindas da minha estante. 


Com certeza um livro que merece ser conhecido! 

Nota no skoob

Alguém já leu? Me contem o que acharam!
Beijos!