Mentirosos
Autor: E. Lockhart
Ano: 2014
Páginas: 272
Editora: Seguinte
Sinopse: Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence - neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.

O que achei:


"Você entende, Cady? O silêncio é uma camada protetora sobre a dor."


Mentirosos possui exatas 272 páginas. E agora (2 horas e 51 minutos da manhã) a sensação que tive foi de ter lido um conto. De 50, 100 páginas no máximo. O livro a princípio é dividido em verões vividos pelos "mentirosos". Cady, Johnny e Mirren são primos, herdeiros da rica e renomada família Sinclair, um dia, a tia deles traz o sobrinho do novo marido, Gat, um garoto que acaba de ter uma perda e precisa se afastar um pouco. Logo passa a fazer parte dos mentirosos e ir até a casa de praia todos os verões.  



“Bem vindo á bela família Sinclair.
Ninguém é criminoso.
Ninguém é viciado.
Ninguém é um fracasso.”

Vamos acompanhando o crescimento dos Mentirosos durante cada verão. O amor que aflora em Cadence por Gat, as descobertas dos meninos, os segredos de família, a verdadeira guerra fria (as vezes não tanto) em que parecem viver as herdeiras da fortuna da família (quem merece mais, quem tem mais filhos, quem ajudou mais) e também vemos uma amizade como há um tempo não vimos. Em meio a todos os conflitos familiares podemos ver o verdadeiro amor que existe entre os mentirosos. Que para não se separarem decidem ir até as ultimas consequências. Ou ao menos tentar.



"Eu costumava ser loira, mas agora meu cabelo está preto.
Eu costumava ser forte, mas agora sou fraca.
Eu costumava ser bonita, agora pareço doente."

Ate que no verão dos 15 ocorre um "acidente". Este que muda completamente a vida deles e do qual... Cadence não se lembra. Ela não entende porque foi para a Europa no outro verão ai invés da casa de praia, não entende porque todos a tratam diferente agora... Porque os mentirosos não falam ou respondem os seus e-mails e porque hoje toma tantas remédios para que se mantenha ali. "Presente". Por que ela estava sozinha naquela noite? Onde estavam suas roupas? Por que seus amigos a evitaram este tempo todo?. 

 “Naquele mês de junho, no verão dos meus quinze anos, meu pai anunciou que estava indo embora e partiu dois dias depois.
Ele já tinha contratado o caminhão de mudança. E alugado uma casa. Colocou a última mala no banco de trás da Mercedes (deixou o Saab para minha mãe) e ligou o motor.
Então sacou uma pistola e atirou no meu peito. Eu estava em pé no gramado e caí. O buraco da bala se alargou e meu coração saiu rolando da caixa torácica até o canteiro. O sangue jorrava continuamente da ferida aberta,
Minha mãe me repreendeu. Disse para eu me recompor.
Aja como uma pessoa normal, ela disse. Agora mesmo.
Porque você é. Porque você pode ser.
Fiz o que ela pediu.”

Ate que ao retornar à casa de verão do avô, dois anos depois do "acidente", ela os encontra cheios de segredos. E o pior. Um segredo que todos sabem e ela não. Que todos a querem proteger de lembrar e ela não conseguir lidar com isso. Até meu Gat. O seu amor. O seu Gat parece não querer que ela chegue perto de desvendar. Destacando segredos e planos para deixá-los separados (é incrivelmente bela a parte que ele os compara a Catherine e heathcliff de "O morro dos ventos uivantes". Lindo!!)

“Tinha saído de uma casa cheia de lágrimas e falsidade e ido para a ilha. 
E eu vi Gat, e vi aquela rosa na mão dele,
e, naquele momento, com a luz do sol entrando pela janela e brilhando sobre ele,
as maçãs sobre a bancada da cozinha, o cheiro de madeira e mareia no ar,
eu rotulei de amor.
Era amor, e me atingiu com tanta força que me inclinei junto à porta de tela ainda entre nós para me manter de pé. Queria tocar nele como se fosse um coelhinho, um gatinho, algo tão especial e macio que seria difícil manter os dedos longe.”

 É então que o livro passa em um piscar de olhos, em uma escrita extremamente fluida (parabéns E. Lockhart!!) e bonita que você vai lendo e não quer parar. Eu como uma grande fã de Agatha Christie adorei pegar as dicas e analisar as lembranças que Cady foi tento no decorrer do livro. Mas, mesmo em meio a tantas idéias mirabolantes não consegui acertar o real acontecimento do verão dos 15. E bem, apesar de não ter sido assim tão chocante para mim (não adivinhei, porém não achei assim UAU o acontecimento), a forma como é narrada a ultima parte é tão intensa que chega a ser poético.. Tão profundo.. Que eu me vi envolvida e fiquei com uma dorzinha no peito ao fechar o livro. "Mentirosos" não é o melhor livro do gênero que li, mas a história, escrita, e drama são altamente recomendados! Uma história que merece ser conhecida e analisada, com certeza! Pena não poder falar muito por conta dos spoilers ... Mas vou correndo conversar com a minha amiga Carol sobre essa escolha maravilhosa da TBR.  Alguém já leu? Comentem comigo! Só cuidado com spoilers gente!! 

“Escrevi nossos nomes na areia.
Cadence, Mirren, Johnny e Gat.
Gat, Johnny, Mirren e Cadence.
Foi o nosso começo.”

Sobre o filme: Sim. Mentirosos vai virar filme. A produtora "Imperative Entertainment", que comprou os direitos de adaptação, já contratou Stephanie Shannon para adaptar o livro. Estou louca para ver!!

Nota no skoob


Beeeijos e até a próxima :)



Deixe um comentário

sábado, 22 de agosto de 2015

Resenha: Mentirosos - E. Lockhart

Mentirosos
Autor: E. Lockhart
Ano: 2014
Páginas: 272
Editora: Seguinte
Sinopse: Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca, suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence - neta primogênita e principal herdeira -, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. Durante o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.

O que achei:


"Você entende, Cady? O silêncio é uma camada protetora sobre a dor."


Mentirosos possui exatas 272 páginas. E agora (2 horas e 51 minutos da manhã) a sensação que tive foi de ter lido um conto. De 50, 100 páginas no máximo. O livro a princípio é dividido em verões vividos pelos "mentirosos". Cady, Johnny e Mirren são primos, herdeiros da rica e renomada família Sinclair, um dia, a tia deles traz o sobrinho do novo marido, Gat, um garoto que acaba de ter uma perda e precisa se afastar um pouco. Logo passa a fazer parte dos mentirosos e ir até a casa de praia todos os verões.  



“Bem vindo á bela família Sinclair.
Ninguém é criminoso.
Ninguém é viciado.
Ninguém é um fracasso.”

Vamos acompanhando o crescimento dos Mentirosos durante cada verão. O amor que aflora em Cadence por Gat, as descobertas dos meninos, os segredos de família, a verdadeira guerra fria (as vezes não tanto) em que parecem viver as herdeiras da fortuna da família (quem merece mais, quem tem mais filhos, quem ajudou mais) e também vemos uma amizade como há um tempo não vimos. Em meio a todos os conflitos familiares podemos ver o verdadeiro amor que existe entre os mentirosos. Que para não se separarem decidem ir até as ultimas consequências. Ou ao menos tentar.



"Eu costumava ser loira, mas agora meu cabelo está preto.
Eu costumava ser forte, mas agora sou fraca.
Eu costumava ser bonita, agora pareço doente."

Ate que no verão dos 15 ocorre um "acidente". Este que muda completamente a vida deles e do qual... Cadence não se lembra. Ela não entende porque foi para a Europa no outro verão ai invés da casa de praia, não entende porque todos a tratam diferente agora... Porque os mentirosos não falam ou respondem os seus e-mails e porque hoje toma tantas remédios para que se mantenha ali. "Presente". Por que ela estava sozinha naquela noite? Onde estavam suas roupas? Por que seus amigos a evitaram este tempo todo?. 

 “Naquele mês de junho, no verão dos meus quinze anos, meu pai anunciou que estava indo embora e partiu dois dias depois.
Ele já tinha contratado o caminhão de mudança. E alugado uma casa. Colocou a última mala no banco de trás da Mercedes (deixou o Saab para minha mãe) e ligou o motor.
Então sacou uma pistola e atirou no meu peito. Eu estava em pé no gramado e caí. O buraco da bala se alargou e meu coração saiu rolando da caixa torácica até o canteiro. O sangue jorrava continuamente da ferida aberta,
Minha mãe me repreendeu. Disse para eu me recompor.
Aja como uma pessoa normal, ela disse. Agora mesmo.
Porque você é. Porque você pode ser.
Fiz o que ela pediu.”

Ate que ao retornar à casa de verão do avô, dois anos depois do "acidente", ela os encontra cheios de segredos. E o pior. Um segredo que todos sabem e ela não. Que todos a querem proteger de lembrar e ela não conseguir lidar com isso. Até meu Gat. O seu amor. O seu Gat parece não querer que ela chegue perto de desvendar. Destacando segredos e planos para deixá-los separados (é incrivelmente bela a parte que ele os compara a Catherine e heathcliff de "O morro dos ventos uivantes". Lindo!!)

“Tinha saído de uma casa cheia de lágrimas e falsidade e ido para a ilha. 
E eu vi Gat, e vi aquela rosa na mão dele,
e, naquele momento, com a luz do sol entrando pela janela e brilhando sobre ele,
as maçãs sobre a bancada da cozinha, o cheiro de madeira e mareia no ar,
eu rotulei de amor.
Era amor, e me atingiu com tanta força que me inclinei junto à porta de tela ainda entre nós para me manter de pé. Queria tocar nele como se fosse um coelhinho, um gatinho, algo tão especial e macio que seria difícil manter os dedos longe.”

 É então que o livro passa em um piscar de olhos, em uma escrita extremamente fluida (parabéns E. Lockhart!!) e bonita que você vai lendo e não quer parar. Eu como uma grande fã de Agatha Christie adorei pegar as dicas e analisar as lembranças que Cady foi tento no decorrer do livro. Mas, mesmo em meio a tantas idéias mirabolantes não consegui acertar o real acontecimento do verão dos 15. E bem, apesar de não ter sido assim tão chocante para mim (não adivinhei, porém não achei assim UAU o acontecimento), a forma como é narrada a ultima parte é tão intensa que chega a ser poético.. Tão profundo.. Que eu me vi envolvida e fiquei com uma dorzinha no peito ao fechar o livro. "Mentirosos" não é o melhor livro do gênero que li, mas a história, escrita, e drama são altamente recomendados! Uma história que merece ser conhecida e analisada, com certeza! Pena não poder falar muito por conta dos spoilers ... Mas vou correndo conversar com a minha amiga Carol sobre essa escolha maravilhosa da TBR.  Alguém já leu? Comentem comigo! Só cuidado com spoilers gente!! 

“Escrevi nossos nomes na areia.
Cadence, Mirren, Johnny e Gat.
Gat, Johnny, Mirren e Cadence.
Foi o nosso começo.”

Sobre o filme: Sim. Mentirosos vai virar filme. A produtora "Imperative Entertainment", que comprou os direitos de adaptação, já contratou Stephanie Shannon para adaptar o livro. Estou louca para ver!!

Nota no skoob


Beeeijos e até a próxima :)