Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universo
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Ano: 2014
Páginas: 392
Editora: Seguinte
Sinopse: Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universo - Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

"Então passei a me chamar Ari. Se tirasse uma letra, meu nome seria Ar. Achava que devia ser ótimo ser o ar. Eu poderia ser alguma coisa e nada ao mesmo tempo. Ser necessário e invisível. Todos precisariam de mim e ninguém conseguiria me ver." 

O que achei: Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo com toda certeza é um livro inesquecível. Um livro que você lerá hoje e daqui a cinco/dez anos ainda lembrará dele e de como ele de alguma forma te tocou lá no fundo (eu mesmo já li faz alguns meses e só agora consegui reunir pensamentos e emoções para falar sobre ele). Começo essa resenha com aquela sensação de que não conseguirei transmitir nem metade da minha opinião sobre esse livro, pois sentimentos por muitas vezes são assim. Loucos, intensos e do tamanho do universo. 

"Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá."

O livro é pelo ponto de vista do Aristóteles, um menino de 15 anos, de descendência mexicana, que se sente muito solitário e com várias dúvidas sobre o mundo. Em uma ida até a piscina, conhece Dante, um menino que diz que vai ensiná-lo a nadar. A amizade começa alí. Em um risada ao perceberem que ambos tem nomes de pensadores famosos. O ambiente familiar dos dois é bem diferente, Aristóteles tem uma família fechada em que, fora duas irmãs casadas, tem um irmão mais velho que não pode nem ser pronunciado o nome por estar na cadeira e qual ele era muito próximo. A família vive como se o irmão não existisse. Não existem fotos e não existem respostas para as perguntas de Ari. E já Dante tem um relacionamento muito próximo com a mãe. 
Pensando bem nos dois é como se um completasse o outro. Como se cada um estivesse ali para ser aquele pedaço que faltava. 

"Gostava de ouvi-lo rir; fazia as coisas parecerem normais. Parte de mim pensava que as coisas nunca mais seriam normais." 

Juntos eles vivem um verão maravilhoso. Porém, logo Dante tem que se mudar e assim Aristóteles se vê sozinho outra vez. É aí que podemos acompanhar o crescimento de ambos. De Dante através das cartas e de Aristóteles com o início do trabalho, as decisões de "sou um homem adulto agora". Fala dos primeiros amores, dos primeiros desamores, dos primeiros porres, as primeiras decisões ruins, as primeiras revelações de tão fundo do coração que você não queria deixar sair e que de certa forma você se sente alí. Junto com os personagens.

Falar deste livro é muito difícil mesmo sendo de certa forma uma história muito simples. O livro é intenso e carrega tanto sentimento! A escrita da autora chega a quase ser poética (descobri depois que o autor do livro é poeta!). E é aquele tipo de livro que você quer marcar todas as frases e levar para a vida.

 “-Você acha que é ruim ter dúvidas? -Não, acho que é inteligente.”

Enfim...

Aristóteles e Dante é sobre sentimento. E sobre amor. Sobre amizade. E sobre crescer e descobrir os segredos do Universo. Ou ao menos tentar. 

Aristóteles e Dante é um livro inesquecível.

"Fechei os olhos. Acho que esse era meu novo hábito. Eu não precisava explodir de raiva. Bastava fechar os olhos e trancar o Universo do lado de fora."


Nota no Skoob: 




Beijos! (próximo post será a finalização da MLI2015)


Deixe um comentário

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Resenha: Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universo - Benjamin Alire Sáenz

Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universo
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Ano: 2014
Páginas: 392
Editora: Seguinte
Sinopse: Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universo - Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão. Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

"Então passei a me chamar Ari. Se tirasse uma letra, meu nome seria Ar. Achava que devia ser ótimo ser o ar. Eu poderia ser alguma coisa e nada ao mesmo tempo. Ser necessário e invisível. Todos precisariam de mim e ninguém conseguiria me ver." 

O que achei: Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo com toda certeza é um livro inesquecível. Um livro que você lerá hoje e daqui a cinco/dez anos ainda lembrará dele e de como ele de alguma forma te tocou lá no fundo (eu mesmo já li faz alguns meses e só agora consegui reunir pensamentos e emoções para falar sobre ele). Começo essa resenha com aquela sensação de que não conseguirei transmitir nem metade da minha opinião sobre esse livro, pois sentimentos por muitas vezes são assim. Loucos, intensos e do tamanho do universo. 

"Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá."

O livro é pelo ponto de vista do Aristóteles, um menino de 15 anos, de descendência mexicana, que se sente muito solitário e com várias dúvidas sobre o mundo. Em uma ida até a piscina, conhece Dante, um menino que diz que vai ensiná-lo a nadar. A amizade começa alí. Em um risada ao perceberem que ambos tem nomes de pensadores famosos. O ambiente familiar dos dois é bem diferente, Aristóteles tem uma família fechada em que, fora duas irmãs casadas, tem um irmão mais velho que não pode nem ser pronunciado o nome por estar na cadeira e qual ele era muito próximo. A família vive como se o irmão não existisse. Não existem fotos e não existem respostas para as perguntas de Ari. E já Dante tem um relacionamento muito próximo com a mãe. 
Pensando bem nos dois é como se um completasse o outro. Como se cada um estivesse ali para ser aquele pedaço que faltava. 

"Gostava de ouvi-lo rir; fazia as coisas parecerem normais. Parte de mim pensava que as coisas nunca mais seriam normais." 

Juntos eles vivem um verão maravilhoso. Porém, logo Dante tem que se mudar e assim Aristóteles se vê sozinho outra vez. É aí que podemos acompanhar o crescimento de ambos. De Dante através das cartas e de Aristóteles com o início do trabalho, as decisões de "sou um homem adulto agora". Fala dos primeiros amores, dos primeiros desamores, dos primeiros porres, as primeiras decisões ruins, as primeiras revelações de tão fundo do coração que você não queria deixar sair e que de certa forma você se sente alí. Junto com os personagens.

Falar deste livro é muito difícil mesmo sendo de certa forma uma história muito simples. O livro é intenso e carrega tanto sentimento! A escrita da autora chega a quase ser poética (descobri depois que o autor do livro é poeta!). E é aquele tipo de livro que você quer marcar todas as frases e levar para a vida.

 “-Você acha que é ruim ter dúvidas? -Não, acho que é inteligente.”

Enfim...

Aristóteles e Dante é sobre sentimento. E sobre amor. Sobre amizade. E sobre crescer e descobrir os segredos do Universo. Ou ao menos tentar. 

Aristóteles e Dante é um livro inesquecível.

"Fechei os olhos. Acho que esse era meu novo hábito. Eu não precisava explodir de raiva. Bastava fechar os olhos e trancar o Universo do lado de fora."


Nota no Skoob: 




Beijos! (próximo post será a finalização da MLI2015)