Bela Maldade
Autora: Rebecca James
Editora: Intrínseca
Páginas: 302
Ano: 2011
Sinopse:

Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade. No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel. Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada...

O que achei:

Bela Maldade é, com toda certeza, um livro maravilhoso! Conta a história de Katherine, uma adolescente que se viu envolvida em um verdadeiro drama familiar quando a sua irmã mais nova é covardemente assassinada. Fazendo com que ela decida se mudar de cidade e vá morar com a tia e até mesmo mudar o seu sobrenome tentando criar um novo recomeço no qual ela não precise ser vista como a irmã da garota assassinada.
Ah... Assim que comecei a ler, eu o devorei em apenas dois dias de tanto que ele é envolvente! Como foi o caso de quando li “Uma História de Amor”, não é necessariamente o enredo principal que te faz querer mais e mais, pois a história não é necessariamente continua visto que nos episódios mistura-se o momento atual, a história da noite em que Rachel morreu e quando Katherine conhece Alice fazendo assim que não necessariamente a história central seja o motivo que você quer logo saber o que vai acontecer.
Quando se começa a ler o livro, já no prólogo eu juro que senti um leve arrepio quando li o seguinte trecho:

Eu deveria ter ido ao enterro. Não teria precisado chorar nem fingir desespero. Poderia ter rido amargamente ou cuspido na cova. Quem se importaria? Se eu ao menos tivesse visto baixarem o caixão à sepultura, jogarem terra no túmulo, teria mais certeza de que ela realmente está morta e enterrada. Eu saberia, no meu intimo, que Alice desapareceu para sempre.”

Eu pensei UAU o livro deve ser arrepiante! E a frase da capa (capa linda, aliás) então! “A amizade pode ser mortal” me fez pensar logo mil coisas das quais Alice poderia ter feito com Katie para tornar a vida dela um verdadeiro inferno. Antes de ler de fato eu fui ver algumas resenhas e empolguei ainda mais quando vi algumas pessoas o comparando ao filme “The roomatte” (isso, aquele com a Leighton)... Porém eu vou ser verdadeira com vocês e dizer que neste quesito eu me decepcionei um pouco com o livro (ok. Eu sei que isso é super comum quando nós colocamos todas as fichas em um determinado ponto). Comparando ao filme, eu achei que a Alice não fez neeeeemmm 1% do que a menina do filme com a colega de quarto. Fez coisas horríveis? Com certeza fez, mas acho que alguns pontos ficaram forçados e exagerados.

O que me fez adorar tanto o livro não foi nem a relação de amizade entre a Katie e a Alice, e sim a Katie batalhando para colocar a sua vida no lugar e realmente ser feliz depois do que aconteceu com a Rachel. Isso que foi o ponto alto pra mim. A superação.
No Skoob avaliei o livro como quatro estrelas porque ele é realmente um livro ótimo e que em nem um momento eu me arrependi de ter adquirido (apesar de que ele meio que foi um presente do meu irmão), mais com certeza é um livro que vale a pena se ter e ler.
Poderia ser melhor? Podia com certeza. Principalmente no que deveria ser o ponto alto do livro, a amizade Alice e Katie visto que todo o foco do livro (pelo menos a propaganda do livro é) é em cima dessa relação, mas é bom mesmo assim.

Ótimo e recomendo :)


Deixe um comentário

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Resenha: Bela Maldade - Rebecca James


Bela Maldade
Autora: Rebecca James
Editora: Intrínseca
Páginas: 302
Ano: 2011
Sinopse:

Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade. No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel. Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada...

O que achei:

Bela Maldade é, com toda certeza, um livro maravilhoso! Conta a história de Katherine, uma adolescente que se viu envolvida em um verdadeiro drama familiar quando a sua irmã mais nova é covardemente assassinada. Fazendo com que ela decida se mudar de cidade e vá morar com a tia e até mesmo mudar o seu sobrenome tentando criar um novo recomeço no qual ela não precise ser vista como a irmã da garota assassinada.
Ah... Assim que comecei a ler, eu o devorei em apenas dois dias de tanto que ele é envolvente! Como foi o caso de quando li “Uma História de Amor”, não é necessariamente o enredo principal que te faz querer mais e mais, pois a história não é necessariamente continua visto que nos episódios mistura-se o momento atual, a história da noite em que Rachel morreu e quando Katherine conhece Alice fazendo assim que não necessariamente a história central seja o motivo que você quer logo saber o que vai acontecer.
Quando se começa a ler o livro, já no prólogo eu juro que senti um leve arrepio quando li o seguinte trecho:

Eu deveria ter ido ao enterro. Não teria precisado chorar nem fingir desespero. Poderia ter rido amargamente ou cuspido na cova. Quem se importaria? Se eu ao menos tivesse visto baixarem o caixão à sepultura, jogarem terra no túmulo, teria mais certeza de que ela realmente está morta e enterrada. Eu saberia, no meu intimo, que Alice desapareceu para sempre.”

Eu pensei UAU o livro deve ser arrepiante! E a frase da capa (capa linda, aliás) então! “A amizade pode ser mortal” me fez pensar logo mil coisas das quais Alice poderia ter feito com Katie para tornar a vida dela um verdadeiro inferno. Antes de ler de fato eu fui ver algumas resenhas e empolguei ainda mais quando vi algumas pessoas o comparando ao filme “The roomatte” (isso, aquele com a Leighton)... Porém eu vou ser verdadeira com vocês e dizer que neste quesito eu me decepcionei um pouco com o livro (ok. Eu sei que isso é super comum quando nós colocamos todas as fichas em um determinado ponto). Comparando ao filme, eu achei que a Alice não fez neeeeemmm 1% do que a menina do filme com a colega de quarto. Fez coisas horríveis? Com certeza fez, mas acho que alguns pontos ficaram forçados e exagerados.

O que me fez adorar tanto o livro não foi nem a relação de amizade entre a Katie e a Alice, e sim a Katie batalhando para colocar a sua vida no lugar e realmente ser feliz depois do que aconteceu com a Rachel. Isso que foi o ponto alto pra mim. A superação.
No Skoob avaliei o livro como quatro estrelas porque ele é realmente um livro ótimo e que em nem um momento eu me arrependi de ter adquirido (apesar de que ele meio que foi um presente do meu irmão), mais com certeza é um livro que vale a pena se ter e ler.
Poderia ser melhor? Podia com certeza. Principalmente no que deveria ser o ponto alto do livro, a amizade Alice e Katie visto que todo o foco do livro (pelo menos a propaganda do livro é) é em cima dessa relação, mas é bom mesmo assim.

Ótimo e recomendo :)