A Maldição do Tigre
Autor: Colleen Houck
Ano: 2013 
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Sinopse: Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. 
Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele.
O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. 
Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.

O que achei

"Aqueles olhos eram hipnóticos. Eles se fixaram em mim, quase como se o tigre estivesse examinando a minha alma. Uma onda de solidão tomou conta de mim, mas me esforcei para tranca-la novamente no cantinho onde guardo emoções desse tipo. Engoli em seco e desviei o olhar."

fonte: Trechostigres
O livro conta a história de Kelsey, uma jovem que perdeu os pais e que precisa de um emprego temporário para ajudar com a faculdade. Ela é então contratada pelo circo local para alimentar e limpar os animais. Inclusive um enorme tigre branco.

A conexão entre os dois é imediata e ela rapidamente vira sua amiga. Passa os seus momentos de folga ao seu lado, lê e desenha perto dele. A sua ligação com ele é tanta, que a convidam para ir até a Índia, onde seu tigre enfim poderá viver livre.
O que ela não imagina é que o tigre na verdade um príncipe indiano amaldiçoado e que ela parece ser a única pessoa que pode ajudá-lo a voltar a ser humano.

Fonte: pinterest
Confesso que no começo estava tendo problemas com a escrita da Colleen Houck. Estava achando um pouco cheia de "aí fiz isso" "aí coloquei a blusa e comi tal coisa". Não sei se expliquei bem, mas parecia sem fluidez. Assim como alguns fatos. Sim, eu penso demais sempre, mas um detalhe como a Kelsey simplesmente embarcar para a Índia com um homem que ela nunca viu na vida (inclusive a família achar super ok) me deixou meio "comassim, ela nunca ouviu falar de tráfico sexual?" (Sou estranha, eu sei. Mas desconfio de tudo! haha), mas eu me forcei a relevar haha.

Brincadeiras a parte, a mesma critica não posso fazer do ótimo roteiro. A ideia do livro é ótima! Adorei as partes no circo e de como eram relatados os sentimentos do tigre. Ficou bem palpável a melancolia do Ren de estar ali. As partes da Índia então são ótimas! Adoro o fato de uma autora abordar um povo, tão rico em cultura e mitos e tão pouco explorado na literatura jovem. E de uma forma que envolva sem explicar demais. 

Fonte: hmbhaines
A Colleen vai apresentando os fatos pouco a pouco, o que faz com que você queira saber do que aconteceu. A partir do momento que ele começa a virar humano tudo começa a ficar mais interessante. Apesar de ter achado o Ren um pouco "Edward" demais, não tem como não entendê-lo depois de tantos anos de solidão. Ah e o que é o Kishan? O irmão de Ren é uma figura! E deu um ótimo alívio cômico com o seu humor negro. Confesso que o livro ficava mais interessante quando ele aparecia! Os personagens do livro são bem explorados e deixam um gostinho de quero mais. Só senti uma vibe meio "Bella" na Kelsey! Aposto que ela vai passar os outros livros naquela coisa "ai amo os dois não sei quem decidir". Mas já estou vacinada kkkk então vou tentar não me apegar tanto a esse triangulo!

Fonte: wearetigersfighters

Este volume me instigou a continuar a série, mesmo tendo achado este livro por muitas vezes monótono (senti que lia e não lia nada), mas quero saber mais sobre esses príncipes (cof Kishan) que pelo jeito vão deixar a Kelsey doidinha!


Alguém já leu?

Sobre a autora


Colleen Houck é antes de tudo uma leitora. Ela adora ação, aventura, ficção científica e romance, e seus livros favoritos incluem um pouco de cada um. Depois de obter um grau de associado da faculdade de Rick e transferir para a Universidade do Arizona, ela abandonou a escola para ir para a missão da igreja onde ela conheceu o marido. Colleen tem vivido no Arizona, Idaho, Utah, Califórnia e Carolina do Norte e agora está definitivamente resolvida em Salem, Oregon, com seu marido e seu gigante tigre branco de pelúcia.

Sobre a edição


Infelizmente as edições que eu comprei do 1º e 2º livros foram edições econômicas. Então nem preciso falar da qualidade ne? Bônus somente por ser papel amarelado.

Nas telinhas: A série ganhará uma adaptação cinematográfica. E os seus direitos foram comprados pela Paramount Pictures! E de acordo com eles, pretendem lançar o primeiro filme em 2016.O diretor já até foi escolhido: Shekhar Kapur. Vamos torcer para que esse não seja MAIS UM livro com direito de adaptação comprado e jogado na geladeira!




Nota no Skoob (3,5)


xX Beijos! Xx


O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Ano: 2015 
Páginas: 96
Editora: Suma de Letras
Sinopse: Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome. As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

O que achei
Este foi o meu primeiro contato com o aclamado autor brasileiro Raphael Montes. Cujos livros estão fazendo sucesso em meio aos leitores.
Porém, felizmente, isso não fez com que eu fosse com o autor as expectativas lá no alto e consegui ler o livro sem julgar pela fama.

O livro é dividido em sete contos. Cada conto sobre um demônio responsável por invocar um dos pecados capitais: Asmodeus (luxúria), Belzebu (gula), Mammon (ganância), Belphegor (preguiça), Satan (ira), Leviathan (inveja) e Lúcifer (soberba).

No início do livro somos apresentados a um mistério sobre como o autor chegou até esses contos (eu adoro essas coisas que são para dar um medinho aos leitores haha) e como ele ali é o tradutor deles, que foram encontrados em uma língua que já não existe e etc. 
O Raphael escreve de uma forma gostosa e bem feita.
Somos então apresentados ao Vilarejo. Um local esquecido e dominado pelo frio e pela fome. Uma fome que leva a loucura é um frio da melancolia.


Primeira ilustração. Feita por Marcelo Damm 
O primeiro conto "Belzebu" me prendeu de tal forma que foi o que eu não parasse de ler! O mistério logo é construído e você não desgruda os olhos enquanto não descobre os mistérios do Vilarejo.
Depois dele, cada conto aborda um acontecimento no Vilarejo, muitas vezes em épocas diferentes ou pontos de vistas diferentes, e perguntas de outros contos acabam sendo respondidas.

E nossa! O último conto é.. Juro que nem tenho palavras! Ali, lendo a conclusão de tudo parei e falei "meu deus!!!". Quanto tempo eu não ficava assim com um livro? Nem lembro!
E o posfácio então?

Raphael com certeza é um destaque para os escritores nacionais! É um nível tão alto!
A história é bem bolada, os personagens são bem construídos e eu consegui imaginar perfeitamente todos na minha cabeça (isso porque o autor não precisa dar detalhes das características para que você visualize a situação). O Raphael aborda o ser humano em situações limites e levantando a discussão de até onde o ser humano pode ir para satisfazer os seus desejos e o melhor, faz com que o leitor reflita sobre estar naquela situação. 
Apesar de serem vários contos, todos são interligados entre sí formando no fim uma história completa.

O livro é super curtinho, as ilustrações são lindas (e melhor, elas são realmente parte da história) e a escrita do Raphael é muito gostosa e impressionante. E mesmo eu que não sou TÃAAO apaixonada por livro de contos, devorei cada página. Você lê rapidinho e nem sente de tão envolvido que está! Mal posso esperar para ler outras coisas do autor.


Incriiiiiiivel!


“Perceba... Nunca inseri o pecado ou o mal nas pessoas. O mal já estava lá. Eu apenas o potencializei.”

Sobre o autor:

Nasceu em 1990, no Rio de Janeiro. Advogado e escritor, publicou contos em diversas antologias de mistério, inclusive na Playboy e na prestigiada revista americana Ellery Queen Mystery Magazine. Suicidas (Saraiva), romance de estreia do autor, foi finalista do prêmio Benvirá de Literatura 2010, do prêmio Machado de Assis 2012 da Biblioteca Nacional e do prêmio São Paulo de Literatura 2013.

Sobre a edição:
Infelizmente eu li no kindle, mas tive a oportunidade de ver a edição física e MEU DEUS! Que perfeição. Pretendo adquirir em breve. Suma arrazou!!

Nota no Skoob



xX Beijos! Xx


A Mansão Hollow
Autor: Agatha Christie
Ano: 2014 
Páginas: 256
Editora: Nova Fronteira
Sinopse: Um inofensivo convite para almoçar na Mansão Hollow logo se transforma em mais um caso a ser desvendado por Hercule Poirot. A cena do crime parece um tanto artificial - o corpo de um homem agonizando na beira da piscina, sua mulher logo ao lado segurando um revólver, e ainda três testemunhas. Seria na verdade uma encenação, uma brincadeira de mau gosto para provocar o detetive? Infelizmente, para a vítima, não. Indo contra todas as evidências, Poirot não demora a descobrir que a arma que aquela mulher tinha nas mãos não era a mesma que matou seu marido. O que aconteceu, então?

O que achei


"A verdade, por mais amarga que seja, pode ser aceita e tecida por um padrão de vida."




Diferente dos outros livros que já li da Agatha Christie, em "A mansão Hollow" o crime não acontece logo de cara. Somos apresentados aos personagens e os conflitos familiares e amores não resolvidos entre eles ate o seu caminho para o final de semana na mansão Hollow.
O crime de fato acontece quase na metade do livro, uma noite após todos chegarem à mansão.
Todos não. Um convidado muito especial, o famoso detetive Hercule Poirot ainda não havia chego.
Claro, como um bom faro para crimes, Poirot chega a tempo para encontrar uma cena de crime "dramática" a beira da piscina. Um homem homem e a sua esposa so seu lado com o revolve na mão. Tão minimamente feita e teatral que a princípio o detetive crê ser uma cena de boas vindas para ele.
Ate que percebe que o crime é real. E todos na mansão são suspeitos. Afinal, o obvio nunca o interessa.
Confesso que já nesse ponto eu fiquei feliz com a morte de John (que mórbido!). Serio! Que personagem asqueroso. O livro na verdade é cheio de personagens que causam antipatia. Para mim, por exemplo, Hanrietta. Arg!
Mas não pense você que isso é algo ruim. Pelo contrário. Pior que um livro cheio de personagens que causam raiva, é um livro cheio de personagens que não fazem diferença. O que não acontece com "A mansão Hollow". Cada personagens tinha o seu lugar e importância na história. E que história! A vida dessas pessoas dariauma novela mexicana daquelas! Haha.




E meu Deus! Que divo Poirot estava nesse livro haha! Ele dava umas respostas na "lata" em uma personagem odiada que eu quase beijei as páginas! 
Sobre o final, decepcionada não é bem a palavra. Mas, apesar de bem justificado, eu queria que tivesse sido outra pessoa "para variar". Que pavor de dar spoiler! 



Este livro, por fim, foi incrível! Muito mais que o mistério-solução que normalmente encontramos nos romances de Agatha. Acredito que ate hoje esse livro foi o que mais me envolveu. Tanto que o devorei em um dia! Rosto sorridente com olhos em forma de coração

Apaixonante. Entrou para o meu top 5, com certeza!

Sobre a autora

Dame Agatha Mary Clarissa Mallowan (Torquay, 15 de Setembro de 1890 — Wallingford, 12 de Janeiro de 1976), mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica, autora de mais de oitenta livros. Seus livros são dos mais traduzidos de todo o planeta, superados apenas pela Bíblia e pelas obras de Shakespeare, com mais de 4 bilhões de cópias vendidas em diversas línguas. Conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos, criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne, entre outros.


Sobre a edição



Padrão desses relançamentos que estão saindo da Agatha. Capa dura, folhas amareladas e capa linda!

Nas telinhas

O livro foi adaptado para um a série de TV "Poirot". O episódio é o 4º da Nona temporada. 



Nota no Skoob

Xx Beijos xX



quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Resenha: A Maldição do Tigre - Colleen Houck

A Maldição do Tigre
Autor: Colleen Houck
Ano: 2013 
Páginas: 288
Editora: Arqueiro
Sinopse: Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. 
Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele.
O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. 
Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.

O que achei

"Aqueles olhos eram hipnóticos. Eles se fixaram em mim, quase como se o tigre estivesse examinando a minha alma. Uma onda de solidão tomou conta de mim, mas me esforcei para tranca-la novamente no cantinho onde guardo emoções desse tipo. Engoli em seco e desviei o olhar."

fonte: Trechostigres
O livro conta a história de Kelsey, uma jovem que perdeu os pais e que precisa de um emprego temporário para ajudar com a faculdade. Ela é então contratada pelo circo local para alimentar e limpar os animais. Inclusive um enorme tigre branco.

A conexão entre os dois é imediata e ela rapidamente vira sua amiga. Passa os seus momentos de folga ao seu lado, lê e desenha perto dele. A sua ligação com ele é tanta, que a convidam para ir até a Índia, onde seu tigre enfim poderá viver livre.
O que ela não imagina é que o tigre na verdade um príncipe indiano amaldiçoado e que ela parece ser a única pessoa que pode ajudá-lo a voltar a ser humano.

Fonte: pinterest
Confesso que no começo estava tendo problemas com a escrita da Colleen Houck. Estava achando um pouco cheia de "aí fiz isso" "aí coloquei a blusa e comi tal coisa". Não sei se expliquei bem, mas parecia sem fluidez. Assim como alguns fatos. Sim, eu penso demais sempre, mas um detalhe como a Kelsey simplesmente embarcar para a Índia com um homem que ela nunca viu na vida (inclusive a família achar super ok) me deixou meio "comassim, ela nunca ouviu falar de tráfico sexual?" (Sou estranha, eu sei. Mas desconfio de tudo! haha), mas eu me forcei a relevar haha.

Brincadeiras a parte, a mesma critica não posso fazer do ótimo roteiro. A ideia do livro é ótima! Adorei as partes no circo e de como eram relatados os sentimentos do tigre. Ficou bem palpável a melancolia do Ren de estar ali. As partes da Índia então são ótimas! Adoro o fato de uma autora abordar um povo, tão rico em cultura e mitos e tão pouco explorado na literatura jovem. E de uma forma que envolva sem explicar demais. 

Fonte: hmbhaines
A Colleen vai apresentando os fatos pouco a pouco, o que faz com que você queira saber do que aconteceu. A partir do momento que ele começa a virar humano tudo começa a ficar mais interessante. Apesar de ter achado o Ren um pouco "Edward" demais, não tem como não entendê-lo depois de tantos anos de solidão. Ah e o que é o Kishan? O irmão de Ren é uma figura! E deu um ótimo alívio cômico com o seu humor negro. Confesso que o livro ficava mais interessante quando ele aparecia! Os personagens do livro são bem explorados e deixam um gostinho de quero mais. Só senti uma vibe meio "Bella" na Kelsey! Aposto que ela vai passar os outros livros naquela coisa "ai amo os dois não sei quem decidir". Mas já estou vacinada kkkk então vou tentar não me apegar tanto a esse triangulo!

Fonte: wearetigersfighters

Este volume me instigou a continuar a série, mesmo tendo achado este livro por muitas vezes monótono (senti que lia e não lia nada), mas quero saber mais sobre esses príncipes (cof Kishan) que pelo jeito vão deixar a Kelsey doidinha!


Alguém já leu?

Sobre a autora


Colleen Houck é antes de tudo uma leitora. Ela adora ação, aventura, ficção científica e romance, e seus livros favoritos incluem um pouco de cada um. Depois de obter um grau de associado da faculdade de Rick e transferir para a Universidade do Arizona, ela abandonou a escola para ir para a missão da igreja onde ela conheceu o marido. Colleen tem vivido no Arizona, Idaho, Utah, Califórnia e Carolina do Norte e agora está definitivamente resolvida em Salem, Oregon, com seu marido e seu gigante tigre branco de pelúcia.

Sobre a edição


Infelizmente as edições que eu comprei do 1º e 2º livros foram edições econômicas. Então nem preciso falar da qualidade ne? Bônus somente por ser papel amarelado.

Nas telinhas: A série ganhará uma adaptação cinematográfica. E os seus direitos foram comprados pela Paramount Pictures! E de acordo com eles, pretendem lançar o primeiro filme em 2016.O diretor já até foi escolhido: Shekhar Kapur. Vamos torcer para que esse não seja MAIS UM livro com direito de adaptação comprado e jogado na geladeira!




Nota no Skoob (3,5)


xX Beijos! Xx

sábado, 14 de novembro de 2015

Resenha: O Vilarejo - Raphael Montes

O Vilarejo
Autor: Raphael Montes
Ano: 2015 
Páginas: 96
Editora: Suma de Letras
Sinopse: Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome. As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.

O que achei
Este foi o meu primeiro contato com o aclamado autor brasileiro Raphael Montes. Cujos livros estão fazendo sucesso em meio aos leitores.
Porém, felizmente, isso não fez com que eu fosse com o autor as expectativas lá no alto e consegui ler o livro sem julgar pela fama.

O livro é dividido em sete contos. Cada conto sobre um demônio responsável por invocar um dos pecados capitais: Asmodeus (luxúria), Belzebu (gula), Mammon (ganância), Belphegor (preguiça), Satan (ira), Leviathan (inveja) e Lúcifer (soberba).

No início do livro somos apresentados a um mistério sobre como o autor chegou até esses contos (eu adoro essas coisas que são para dar um medinho aos leitores haha) e como ele ali é o tradutor deles, que foram encontrados em uma língua que já não existe e etc. 
O Raphael escreve de uma forma gostosa e bem feita.
Somos então apresentados ao Vilarejo. Um local esquecido e dominado pelo frio e pela fome. Uma fome que leva a loucura é um frio da melancolia.


Primeira ilustração. Feita por Marcelo Damm 
O primeiro conto "Belzebu" me prendeu de tal forma que foi o que eu não parasse de ler! O mistério logo é construído e você não desgruda os olhos enquanto não descobre os mistérios do Vilarejo.
Depois dele, cada conto aborda um acontecimento no Vilarejo, muitas vezes em épocas diferentes ou pontos de vistas diferentes, e perguntas de outros contos acabam sendo respondidas.

E nossa! O último conto é.. Juro que nem tenho palavras! Ali, lendo a conclusão de tudo parei e falei "meu deus!!!". Quanto tempo eu não ficava assim com um livro? Nem lembro!
E o posfácio então?

Raphael com certeza é um destaque para os escritores nacionais! É um nível tão alto!
A história é bem bolada, os personagens são bem construídos e eu consegui imaginar perfeitamente todos na minha cabeça (isso porque o autor não precisa dar detalhes das características para que você visualize a situação). O Raphael aborda o ser humano em situações limites e levantando a discussão de até onde o ser humano pode ir para satisfazer os seus desejos e o melhor, faz com que o leitor reflita sobre estar naquela situação. 
Apesar de serem vários contos, todos são interligados entre sí formando no fim uma história completa.

O livro é super curtinho, as ilustrações são lindas (e melhor, elas são realmente parte da história) e a escrita do Raphael é muito gostosa e impressionante. E mesmo eu que não sou TÃAAO apaixonada por livro de contos, devorei cada página. Você lê rapidinho e nem sente de tão envolvido que está! Mal posso esperar para ler outras coisas do autor.


Incriiiiiiivel!


“Perceba... Nunca inseri o pecado ou o mal nas pessoas. O mal já estava lá. Eu apenas o potencializei.”

Sobre o autor:

Nasceu em 1990, no Rio de Janeiro. Advogado e escritor, publicou contos em diversas antologias de mistério, inclusive na Playboy e na prestigiada revista americana Ellery Queen Mystery Magazine. Suicidas (Saraiva), romance de estreia do autor, foi finalista do prêmio Benvirá de Literatura 2010, do prêmio Machado de Assis 2012 da Biblioteca Nacional e do prêmio São Paulo de Literatura 2013.

Sobre a edição:
Infelizmente eu li no kindle, mas tive a oportunidade de ver a edição física e MEU DEUS! Que perfeição. Pretendo adquirir em breve. Suma arrazou!!

Nota no Skoob



xX Beijos! Xx

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Resenha: A Mansão Hollow - Agatha Christie

A Mansão Hollow
Autor: Agatha Christie
Ano: 2014 
Páginas: 256
Editora: Nova Fronteira
Sinopse: Um inofensivo convite para almoçar na Mansão Hollow logo se transforma em mais um caso a ser desvendado por Hercule Poirot. A cena do crime parece um tanto artificial - o corpo de um homem agonizando na beira da piscina, sua mulher logo ao lado segurando um revólver, e ainda três testemunhas. Seria na verdade uma encenação, uma brincadeira de mau gosto para provocar o detetive? Infelizmente, para a vítima, não. Indo contra todas as evidências, Poirot não demora a descobrir que a arma que aquela mulher tinha nas mãos não era a mesma que matou seu marido. O que aconteceu, então?

O que achei


"A verdade, por mais amarga que seja, pode ser aceita e tecida por um padrão de vida."




Diferente dos outros livros que já li da Agatha Christie, em "A mansão Hollow" o crime não acontece logo de cara. Somos apresentados aos personagens e os conflitos familiares e amores não resolvidos entre eles ate o seu caminho para o final de semana na mansão Hollow.
O crime de fato acontece quase na metade do livro, uma noite após todos chegarem à mansão.
Todos não. Um convidado muito especial, o famoso detetive Hercule Poirot ainda não havia chego.
Claro, como um bom faro para crimes, Poirot chega a tempo para encontrar uma cena de crime "dramática" a beira da piscina. Um homem homem e a sua esposa so seu lado com o revolve na mão. Tão minimamente feita e teatral que a princípio o detetive crê ser uma cena de boas vindas para ele.
Ate que percebe que o crime é real. E todos na mansão são suspeitos. Afinal, o obvio nunca o interessa.
Confesso que já nesse ponto eu fiquei feliz com a morte de John (que mórbido!). Serio! Que personagem asqueroso. O livro na verdade é cheio de personagens que causam antipatia. Para mim, por exemplo, Hanrietta. Arg!
Mas não pense você que isso é algo ruim. Pelo contrário. Pior que um livro cheio de personagens que causam raiva, é um livro cheio de personagens que não fazem diferença. O que não acontece com "A mansão Hollow". Cada personagens tinha o seu lugar e importância na história. E que história! A vida dessas pessoas dariauma novela mexicana daquelas! Haha.




E meu Deus! Que divo Poirot estava nesse livro haha! Ele dava umas respostas na "lata" em uma personagem odiada que eu quase beijei as páginas! 
Sobre o final, decepcionada não é bem a palavra. Mas, apesar de bem justificado, eu queria que tivesse sido outra pessoa "para variar". Que pavor de dar spoiler! 



Este livro, por fim, foi incrível! Muito mais que o mistério-solução que normalmente encontramos nos romances de Agatha. Acredito que ate hoje esse livro foi o que mais me envolveu. Tanto que o devorei em um dia! Rosto sorridente com olhos em forma de coração

Apaixonante. Entrou para o meu top 5, com certeza!

Sobre a autora

Dame Agatha Mary Clarissa Mallowan (Torquay, 15 de Setembro de 1890 — Wallingford, 12 de Janeiro de 1976), mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica, autora de mais de oitenta livros. Seus livros são dos mais traduzidos de todo o planeta, superados apenas pela Bíblia e pelas obras de Shakespeare, com mais de 4 bilhões de cópias vendidas em diversas línguas. Conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos, criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne, entre outros.


Sobre a edição



Padrão desses relançamentos que estão saindo da Agatha. Capa dura, folhas amareladas e capa linda!

Nas telinhas

O livro foi adaptado para um a série de TV "Poirot". O episódio é o 4º da Nona temporada. 



Nota no Skoob

Xx Beijos xX