Olá gente :)

Ontem de noite eu estava dando uma olhadinha na minha estante e tentando ver o que eu poderia estar aproveitando (dos já lidos no passado) para fazer resenha, assim como os possíveis candidatos para a mesma. E é aí que você para e pergunta: Por que ela fala isso? Todo livro é livro. É aí que eu discordo. Por que? Bem, porque eu acho que existem livros em que não é necessariamente preciso fazer uma resenha elaborada para que as pessoas possam se guiar... Aqueles que absolutamente fazem o que escrevem atrás na sinopse. Sem surpresas e sem coisas legais inesperadas.
Sendo assim, eu decidi então fazer um videozinho mostrando todos os meus livros (tirando alguns que eu emprestei. Cerca de uns 10), se vocês virem algum livro que eu tenha comentado como já lido ou então que eu tenha e não tenha lido e vocês queiram logo saber como é mais ou menos... 

Podem colocar no comentário aí abaixo: Quero a resenha de tal livro que você comentou que tinha ou então Queria que você lesse o livro "tal" que eu ví aí na sua estante e faça logo a resenha. Já que como deu pra ver tem muito livro aí que eu comprei recentemente e ainda está na "fila para leitura".



Beeeeeemmmm. Chega de falar, vamos ao vídeo. ah, primeiramente: 

-> Desculpe pela minha voz! (ficou tão infantil !!)
-> Eu falo rápido demais! Eu sei eu sei .. :3 tentei colocar as legendinhas de onde eu falei muito rápido, mas qualquer dúvida é só deixar um comentário aí embaixo!



Comentem! beijo beijo. 



Bela Maldade
Autora: Rebecca James
Editora: Intrínseca
Páginas: 302
Ano: 2011
Sinopse:

Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade. No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel. Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada...

O que achei:

Bela Maldade é, com toda certeza, um livro maravilhoso! Conta a história de Katherine, uma adolescente que se viu envolvida em um verdadeiro drama familiar quando a sua irmã mais nova é covardemente assassinada. Fazendo com que ela decida se mudar de cidade e vá morar com a tia e até mesmo mudar o seu sobrenome tentando criar um novo recomeço no qual ela não precise ser vista como a irmã da garota assassinada.
Ah... Assim que comecei a ler, eu o devorei em apenas dois dias de tanto que ele é envolvente! Como foi o caso de quando li “Uma História de Amor”, não é necessariamente o enredo principal que te faz querer mais e mais, pois a história não é necessariamente continua visto que nos episódios mistura-se o momento atual, a história da noite em que Rachel morreu e quando Katherine conhece Alice fazendo assim que não necessariamente a história central seja o motivo que você quer logo saber o que vai acontecer.
Quando se começa a ler o livro, já no prólogo eu juro que senti um leve arrepio quando li o seguinte trecho:

Eu deveria ter ido ao enterro. Não teria precisado chorar nem fingir desespero. Poderia ter rido amargamente ou cuspido na cova. Quem se importaria? Se eu ao menos tivesse visto baixarem o caixão à sepultura, jogarem terra no túmulo, teria mais certeza de que ela realmente está morta e enterrada. Eu saberia, no meu intimo, que Alice desapareceu para sempre.”

Eu pensei UAU o livro deve ser arrepiante! E a frase da capa (capa linda, aliás) então! “A amizade pode ser mortal” me fez pensar logo mil coisas das quais Alice poderia ter feito com Katie para tornar a vida dela um verdadeiro inferno. Antes de ler de fato eu fui ver algumas resenhas e empolguei ainda mais quando vi algumas pessoas o comparando ao filme “The roomatte” (isso, aquele com a Leighton)... Porém eu vou ser verdadeira com vocês e dizer que neste quesito eu me decepcionei um pouco com o livro (ok. Eu sei que isso é super comum quando nós colocamos todas as fichas em um determinado ponto). Comparando ao filme, eu achei que a Alice não fez neeeeemmm 1% do que a menina do filme com a colega de quarto. Fez coisas horríveis? Com certeza fez, mas acho que alguns pontos ficaram forçados e exagerados.

O que me fez adorar tanto o livro não foi nem a relação de amizade entre a Katie e a Alice, e sim a Katie batalhando para colocar a sua vida no lugar e realmente ser feliz depois do que aconteceu com a Rachel. Isso que foi o ponto alto pra mim. A superação.
No Skoob avaliei o livro como quatro estrelas porque ele é realmente um livro ótimo e que em nem um momento eu me arrependi de ter adquirido (apesar de que ele meio que foi um presente do meu irmão), mais com certeza é um livro que vale a pena se ter e ler.
Poderia ser melhor? Podia com certeza. Principalmente no que deveria ser o ponto alto do livro, a amizade Alice e Katie visto que todo o foco do livro (pelo menos a propaganda do livro é) é em cima dessa relação, mas é bom mesmo assim.

Ótimo e recomendo :)



Avalon High
Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Páginas: 350
Ano: 2007
Sinopse: AVALON HIGH pode não ser exatamente o lugar onde Ellie gostaria de estudar, mas até que não é tão ruim assim. Uma escola americana normal, freqüentada pelos mesmos tipos de sempre: Lance, o esportista; Jennifer, a animadora de torcida; e Will, o presidente da turma, jogador talentoso, bom moço... e muito charmoso! Mas nem todos em AVALON HIGH são o que parecem ser... nem mesmo Ellie, como ela logo vai descobrir. Depois de um esbarrão durante uma corrida no parque, os destinos de Ellie e Will parecem estar irremediavelmente entrelaçados. Ela começa a notar uma série de estranhas coincidências entre o seu cotidiano e a lenda do Rei Arthur – nomes similares, triângulos amorosos, sociedades secretas – mas qual seria seu verdadeiro papel nessa história? Como em Camelot, estariam seus novos amigos fadados a um trágico destino? E pior, o que ela pode fazer para impedir que uma profecia milenar se cumpra mais uma vez? Misturando fantasia, história e romance, Meg Cabot acerta mais uma vez. Uma versão inteligente e bem-humorada da lenda arthuriana,

O que achei:

Este foi com toda certeza o melhor livro da Meg que eu já li! Tanto que mesmo sendo grosso eu li em uns três dias. É engraçado, fofo, instigante e realmente te prende! E isso que quando não estava lendo, eu pensava nele várias vezes ao dia.
O livro é tão bonitinho! Apesar do romance ficar várias vezes naquele vai não vai é tãaaaaoo bonitinho a Ellie toda apaixonadinha e querendo esconder isso.

Eu adorei ei ei ei ei o livro e com certeza vou ler ele de novo no futuro.

Cinco estrelinhas no Skoob e ainda marcado como favorito :)

Curiosidades:
Em 2010, a Disney lançou o filme baseado no livro Avalon High com Britt Robertison (a Cassie de Secret Circle) como Allie e Gregg Sulkin como Will.



Eu havia visto o filme antes de ler o livro e quando comecei a ler eu fiquei todo tempo pensando no final do filme e achando que era o final do livro MAIS NÃO É! Então fiquem prestando a atenção na leitura do livro para descobrir quem é quem de Camelot!
Se eu tivesse lido o livro antes de ter visto o filme eu acho que não teria imaginado a Britt como a Ellie (não é nem pelo cabelo apenas) mas sei lá... A Ellie me passou outra coisa no livro.
Ah e mudaria a menina que faz a Jennifer! Muito nada a ver com o filme! A do filme é toda Barbie Malibu e a do filme é sem graça. Enfim.

Adorei os dois!

E ai alguém aí já leu? 

beijo beijo



Love Story – Uma História de Amor.
Autora: Erich Segal
Editora: Círculo do Livro
Páginas: 190
Ano: 1970

Sinopse: Um jovem de família muito rica e estudante de Direito conhece e se apaixona por uma estudante de música e acabam se casando algum tempo depois. Porém, o pai do rapaz não aceita a nora, por ela ser uma moça de família humilde, e acaba deserdando o filho. Algum tempo depois, a moça tenta engravidar e não consegue; vai então fazer exames e descobre que está gravemente doente.

Quando estas nossas almas se librarem/frente a frente em silêncio e bem mais perto/ até que as asas longas fiquem em fogo...
(Pag. 108)

Este foi, com toda a certeza do mundo, um dos livros mais lindos que eu tive a oportunidade de ler.
Conta a história de Jenny e Oliver, dois estudantes que se conhecem e logo se apaixonam. A história em si não é detalhada como geralmente é nos outros livros de romance, em que você vê o dia a dia e cada passa da conquista e afins. Love Story é meio que contado “apressadamente”, mais como a lembrança do Oliver quanto a história de amor que ele viveu com a Jenny.
Você pode perceber no decorrer da leitura os vários conflitos que aparecem no livro à parte o romance em si. A relação de cobrança em que viviam os pais e filhos na época, a pressão de se ficar com alguém do seu mesmo “patamar social”... E acima de tudo o que você está preparado para agüentar pra ficar com quem você ama.
Love Story é romântico, engraçado, fofo e curtinho.
Recomendo a todos a leitura desse romance tão lindamente escrito por Erich Segal este que me fez até mesmo ter inveja por ter tido uma idéia tão incrível! Tanto que pensei a todo (ou quase todo) momento “Porque eu não escrevi esse livro?”. Chorei demaaaaaaaais (coisa rara) nas partes finais (principalmente na ultima página do livro), ri demais com a Jenny chamando o Oliver de preppie quando achava que ele estava se “achando” e também senti aquele apertinho no coração que nós só sentimos quando estamos apaixonados ou angustiados como se aquilo fosse algo meu.
LINDO LINDO LINDO!
Mereceu cinco estrelinhas no Skoob e ainda foi marcado como favorito.

Encerro esta resenha com a frase que julgo como a mais linda do livro.

“Amar é jamais ter que pedir perdão” – Jenny Barrett

Curiosidades:

Em 1970 foi lançado o filme "Love Story" com direção de Arthur Hiller pela Paramount, com Ali MacGrow como Jenny e Ryan O'Neal como Oliver.

Imagens do filme:






O filme é tão bonitinho quanto o filme. Recomendo ambos ;)
Espero que tenha gostado! Até a próxima ;*



terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Video Post : Na Minha Estante


Olá gente :)

Ontem de noite eu estava dando uma olhadinha na minha estante e tentando ver o que eu poderia estar aproveitando (dos já lidos no passado) para fazer resenha, assim como os possíveis candidatos para a mesma. E é aí que você para e pergunta: Por que ela fala isso? Todo livro é livro. É aí que eu discordo. Por que? Bem, porque eu acho que existem livros em que não é necessariamente preciso fazer uma resenha elaborada para que as pessoas possam se guiar... Aqueles que absolutamente fazem o que escrevem atrás na sinopse. Sem surpresas e sem coisas legais inesperadas.
Sendo assim, eu decidi então fazer um videozinho mostrando todos os meus livros (tirando alguns que eu emprestei. Cerca de uns 10), se vocês virem algum livro que eu tenha comentado como já lido ou então que eu tenha e não tenha lido e vocês queiram logo saber como é mais ou menos... 

Podem colocar no comentário aí abaixo: Quero a resenha de tal livro que você comentou que tinha ou então Queria que você lesse o livro "tal" que eu ví aí na sua estante e faça logo a resenha. Já que como deu pra ver tem muito livro aí que eu comprei recentemente e ainda está na "fila para leitura".



Beeeeeemmmm. Chega de falar, vamos ao vídeo. ah, primeiramente: 

-> Desculpe pela minha voz! (ficou tão infantil !!)
-> Eu falo rápido demais! Eu sei eu sei .. :3 tentei colocar as legendinhas de onde eu falei muito rápido, mas qualquer dúvida é só deixar um comentário aí embaixo!



Comentem! beijo beijo. 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Resenha: Bela Maldade - Rebecca James


Bela Maldade
Autora: Rebecca James
Editora: Intrínseca
Páginas: 302
Ano: 2011
Sinopse:

Após uma horrível tragédia que deixou sua família, antes perfeita, devastada, Katherine Patterson se muda para uma nova cidade e inicia uma nova vida em um tranquilo anonimato. Mas seu plano de viver solitária e discretamente se torna difícil quando ela conhece a linda e sociável Alice Parrie. Incapaz de resistir à atenção que Alice lhe dedica, Katherine fica encantada com aquele entusiasmo contagiante, e logo as duas começam uma intensa amizade. No entanto, conviver com Alice é complicado. Quando Katherine passa a conhecê-la melhor, percebe que, embora possa ser encantadora, a amiga também tem um lado sombrio. E, por vezes, cruel. Ao se perguntar se Alice é realmente o tipo de pessoa que deseja ter por perto, Katherine descobre mais uma coisa sobre a amiga: Alice não gosta de ser rejeitada...

O que achei:

Bela Maldade é, com toda certeza, um livro maravilhoso! Conta a história de Katherine, uma adolescente que se viu envolvida em um verdadeiro drama familiar quando a sua irmã mais nova é covardemente assassinada. Fazendo com que ela decida se mudar de cidade e vá morar com a tia e até mesmo mudar o seu sobrenome tentando criar um novo recomeço no qual ela não precise ser vista como a irmã da garota assassinada.
Ah... Assim que comecei a ler, eu o devorei em apenas dois dias de tanto que ele é envolvente! Como foi o caso de quando li “Uma História de Amor”, não é necessariamente o enredo principal que te faz querer mais e mais, pois a história não é necessariamente continua visto que nos episódios mistura-se o momento atual, a história da noite em que Rachel morreu e quando Katherine conhece Alice fazendo assim que não necessariamente a história central seja o motivo que você quer logo saber o que vai acontecer.
Quando se começa a ler o livro, já no prólogo eu juro que senti um leve arrepio quando li o seguinte trecho:

Eu deveria ter ido ao enterro. Não teria precisado chorar nem fingir desespero. Poderia ter rido amargamente ou cuspido na cova. Quem se importaria? Se eu ao menos tivesse visto baixarem o caixão à sepultura, jogarem terra no túmulo, teria mais certeza de que ela realmente está morta e enterrada. Eu saberia, no meu intimo, que Alice desapareceu para sempre.”

Eu pensei UAU o livro deve ser arrepiante! E a frase da capa (capa linda, aliás) então! “A amizade pode ser mortal” me fez pensar logo mil coisas das quais Alice poderia ter feito com Katie para tornar a vida dela um verdadeiro inferno. Antes de ler de fato eu fui ver algumas resenhas e empolguei ainda mais quando vi algumas pessoas o comparando ao filme “The roomatte” (isso, aquele com a Leighton)... Porém eu vou ser verdadeira com vocês e dizer que neste quesito eu me decepcionei um pouco com o livro (ok. Eu sei que isso é super comum quando nós colocamos todas as fichas em um determinado ponto). Comparando ao filme, eu achei que a Alice não fez neeeeemmm 1% do que a menina do filme com a colega de quarto. Fez coisas horríveis? Com certeza fez, mas acho que alguns pontos ficaram forçados e exagerados.

O que me fez adorar tanto o livro não foi nem a relação de amizade entre a Katie e a Alice, e sim a Katie batalhando para colocar a sua vida no lugar e realmente ser feliz depois do que aconteceu com a Rachel. Isso que foi o ponto alto pra mim. A superação.
No Skoob avaliei o livro como quatro estrelas porque ele é realmente um livro ótimo e que em nem um momento eu me arrependi de ter adquirido (apesar de que ele meio que foi um presente do meu irmão), mais com certeza é um livro que vale a pena se ter e ler.
Poderia ser melhor? Podia com certeza. Principalmente no que deveria ser o ponto alto do livro, a amizade Alice e Katie visto que todo o foco do livro (pelo menos a propaganda do livro é) é em cima dessa relação, mas é bom mesmo assim.

Ótimo e recomendo :)

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Resenha: Avalon High - Meg Cabot


Avalon High
Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Páginas: 350
Ano: 2007
Sinopse: AVALON HIGH pode não ser exatamente o lugar onde Ellie gostaria de estudar, mas até que não é tão ruim assim. Uma escola americana normal, freqüentada pelos mesmos tipos de sempre: Lance, o esportista; Jennifer, a animadora de torcida; e Will, o presidente da turma, jogador talentoso, bom moço... e muito charmoso! Mas nem todos em AVALON HIGH são o que parecem ser... nem mesmo Ellie, como ela logo vai descobrir. Depois de um esbarrão durante uma corrida no parque, os destinos de Ellie e Will parecem estar irremediavelmente entrelaçados. Ela começa a notar uma série de estranhas coincidências entre o seu cotidiano e a lenda do Rei Arthur – nomes similares, triângulos amorosos, sociedades secretas – mas qual seria seu verdadeiro papel nessa história? Como em Camelot, estariam seus novos amigos fadados a um trágico destino? E pior, o que ela pode fazer para impedir que uma profecia milenar se cumpra mais uma vez? Misturando fantasia, história e romance, Meg Cabot acerta mais uma vez. Uma versão inteligente e bem-humorada da lenda arthuriana,

O que achei:

Este foi com toda certeza o melhor livro da Meg que eu já li! Tanto que mesmo sendo grosso eu li em uns três dias. É engraçado, fofo, instigante e realmente te prende! E isso que quando não estava lendo, eu pensava nele várias vezes ao dia.
O livro é tão bonitinho! Apesar do romance ficar várias vezes naquele vai não vai é tãaaaaoo bonitinho a Ellie toda apaixonadinha e querendo esconder isso.

Eu adorei ei ei ei ei o livro e com certeza vou ler ele de novo no futuro.

Cinco estrelinhas no Skoob e ainda marcado como favorito :)

Curiosidades:
Em 2010, a Disney lançou o filme baseado no livro Avalon High com Britt Robertison (a Cassie de Secret Circle) como Allie e Gregg Sulkin como Will.



Eu havia visto o filme antes de ler o livro e quando comecei a ler eu fiquei todo tempo pensando no final do filme e achando que era o final do livro MAIS NÃO É! Então fiquem prestando a atenção na leitura do livro para descobrir quem é quem de Camelot!
Se eu tivesse lido o livro antes de ter visto o filme eu acho que não teria imaginado a Britt como a Ellie (não é nem pelo cabelo apenas) mas sei lá... A Ellie me passou outra coisa no livro.
Ah e mudaria a menina que faz a Jennifer! Muito nada a ver com o filme! A do filme é toda Barbie Malibu e a do filme é sem graça. Enfim.

Adorei os dois!

E ai alguém aí já leu? 

beijo beijo

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Resenha: Love Story - Erich Segal


Love Story – Uma História de Amor.
Autora: Erich Segal
Editora: Círculo do Livro
Páginas: 190
Ano: 1970

Sinopse: Um jovem de família muito rica e estudante de Direito conhece e se apaixona por uma estudante de música e acabam se casando algum tempo depois. Porém, o pai do rapaz não aceita a nora, por ela ser uma moça de família humilde, e acaba deserdando o filho. Algum tempo depois, a moça tenta engravidar e não consegue; vai então fazer exames e descobre que está gravemente doente.

Quando estas nossas almas se librarem/frente a frente em silêncio e bem mais perto/ até que as asas longas fiquem em fogo...
(Pag. 108)

Este foi, com toda a certeza do mundo, um dos livros mais lindos que eu tive a oportunidade de ler.
Conta a história de Jenny e Oliver, dois estudantes que se conhecem e logo se apaixonam. A história em si não é detalhada como geralmente é nos outros livros de romance, em que você vê o dia a dia e cada passa da conquista e afins. Love Story é meio que contado “apressadamente”, mais como a lembrança do Oliver quanto a história de amor que ele viveu com a Jenny.
Você pode perceber no decorrer da leitura os vários conflitos que aparecem no livro à parte o romance em si. A relação de cobrança em que viviam os pais e filhos na época, a pressão de se ficar com alguém do seu mesmo “patamar social”... E acima de tudo o que você está preparado para agüentar pra ficar com quem você ama.
Love Story é romântico, engraçado, fofo e curtinho.
Recomendo a todos a leitura desse romance tão lindamente escrito por Erich Segal este que me fez até mesmo ter inveja por ter tido uma idéia tão incrível! Tanto que pensei a todo (ou quase todo) momento “Porque eu não escrevi esse livro?”. Chorei demaaaaaaaais (coisa rara) nas partes finais (principalmente na ultima página do livro), ri demais com a Jenny chamando o Oliver de preppie quando achava que ele estava se “achando” e também senti aquele apertinho no coração que nós só sentimos quando estamos apaixonados ou angustiados como se aquilo fosse algo meu.
LINDO LINDO LINDO!
Mereceu cinco estrelinhas no Skoob e ainda foi marcado como favorito.

Encerro esta resenha com a frase que julgo como a mais linda do livro.

“Amar é jamais ter que pedir perdão” – Jenny Barrett

Curiosidades:

Em 1970 foi lançado o filme "Love Story" com direção de Arthur Hiller pela Paramount, com Ali MacGrow como Jenny e Ryan O'Neal como Oliver.

Imagens do filme:






O filme é tão bonitinho quanto o filme. Recomendo ambos ;)
Espero que tenha gostado! Até a próxima ;*